Dia Mundial do Câncer: nova forma de enfrentar e conviver com a doença

O Dia Mundial do Câncer, instituído pela Organização Mundial da Saúde (OMS), é comemorado em 4 de fevereiro e o tema que a Organização traz para 2015 é ‘Ao nosso alcance’, destacando que existem soluções para todas as etapas da doença.

“A escolha deste tema reforça a importância de trazer o assunto para o dia a dia das pessoas e mudar a relação de enfrentamento da doença, desde a realização da prevenção primária, por meio da adoção de hábitos saudáveis, até a realização de exames periódicos, para que seja possível fazer a detecção precoce do câncer e a preocupação em manter uma boa qualidade de vida, durante o tratamento, utilizando as diversas opções de terapias existentes”, destaca o diretor-médico do Instituto Brasileiro de Controle do Câncer (IBCC), Marcelo A. Calil.

A adoção de hábitos saudáveis é um importante e reconhecido como medida que colabora com a menor possibilidade de ocorrência da doença. Não fumar, ingerir dieta rica em fibras e pobre em gordura, praticar exercícios físicos no mínimo três vezes por semana e evitar contato com agentes químicos cancerígenos são algumas práticas que devem ser seguidas.

Como nem sempre é possível fazer a prevenção primária, que significa evitar que ele apareça, a detecção precoce é um fator determinante para guiar o tratamento e possibilitar o aumento das chances de cura. “No caso do câncer de mama, por exemplo, ela pode chegar a 90%, isso porque, se detectado no início, o câncer estará localizado em uma única parte do corpo e não terá se espalhado para outros órgãos, o que chamamos de metástase”, afirma Calil. Nesse sentido, é importante que todas as pessoas realizem exames de rotina e façam o autoexame para conhecer seu corpo.

Por fim, garantir uma melhor qualidade de vida ao paciente oncológico também é uma forma de tratar a doença. Além do tratamento existem ambulatórios específicos para tratar os sintomas que causam desconforto aos pacientes, além do tratamento multidisciplinar com psicólogos, nutricionistas, enfermeiros e terapeutas ocupacionais que contribuem para esta melhora na qualidade de vida. Para os casos mais avançados há a opção dos Cuidados Paliativos, que contribui com a qualidade de vida dos pacientes.

Fonte: thalita

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.