Entenda os 4 tipos de tratamento para o câncer infantojuvenil

Quimioterapia, radioterapia, cirurgia e o transplante de medula óssea são hoje os tipos de terapias utilizadas com eficácia para determinados tipos de doenças neoplásicas. De acordo com a Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica (SOBOPE), os tratamentos podem provocar efeitos e sintomas indesejáveis ditos secundários, uma vez que ao agirem sobre as células doentes, atingem também as células sadias.

Segundo a diretora da SOBOPE e oncologista pediátrica, Carla Macedo, o tratamento para cada tipo de câncer segue uma rotina, ou seja um planejamento terapêutico de um protocolo, que nada mais é do que um plano preestabelecido para tratar a doença. “Os protocolos são sempre definidos de acordo com o tipo de neoplasia, a idade do paciente, o estádio ou o grau de disseminação da moléstia e podem utilizar um tipo de tratamento ou a associação deles”.

O câncer infantojuvenil é, em geral, mais curável do que o câncer em pessoas adultas. As células responsáveis pelo câncer juvenil são denominadas como “embrionárias”, estas células têm capacidade de dividir-se rapidamente e com isso, acabam respondendo melhor ao tratamento.

Saiba mais sobre os quatro tipos de tratamento:

1 – Quimioterapia – É hoje um dos recursos mais importantes para o tratamento da criança e do adolescente. O objetivo é matar as células que estão se dividindo rapidamente, entretanto podem provocar efeitos colaterais como náuseas e vômitos, queda de cabelo, aftas, lesões na mucosa da boca e alterações no sangue. Durante a terapêutica, frequentemente o paciente se sente cansado, debilitado deprimido, pode apresentar queda na quantidade de glóbulos brancos

(leucopenia), acarretar em períodos febris e ficar mais sensível às infecções. Além disso, o paciente pode apresentar sangramento na pele (petéquias, hematomas), gengivas, nariz e apresentar anemia. Alguns pacientes podem necessitar de transfusão de sangue e derivados.

2 – Radioterapia – É baseada na aplicação de doses de radiação que são calculadas de acordo com o volume e tipo de tumor e tem como função destruir as células doentes e preservar as células saudáveis. Este tratamento pode causar cansaço, diminuição de apetite, queda de pelos, vermelhidão, ardor e coceira na área irradiada.

3 – Cirurgia – É um procedimento que necessita de indicações, com a finalidade de retirar o tumor ou parte dele. A cirurgia e seus cuidados estão relacionados com o tamanho e tipo de tumor. Na infância e adolescência, a cirurgia é geralmente precedida e/ou completada pelo tratamento quimioterápico e/ou radioterápico.

4 – Transplante de Medula Óssea – É um procedimento realizado através de indicações precisas para a reposição da medula óssea que foi destruída pelo tratamento com altas doses de quimioterapia ou por infiltração de células doentes. Pode ser utilizado material do próprio paciente ou de outra pessoa que seja compatível, dependendo do caso.

Fonte: nicollioliveira

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.