TI cresce cinco por cento no Brasil em 2015

Apesar do baixo índice de crescimento, o mercado brasileiro de tecnologia da informação vai ficar bem acima do PIB do país em 2015, e deve terminar o ano como o sexto com mais investimentos neste segmento. A International Data Corporation (IDC) revela que a expectativa é chegar a US$ 165,6 bilhões, 5% mais que no ano passado.

A consultora prevê para este ano uma movimentação global no setor que supera os U$ 3,8 trilhões – número também previsto pela Gartner Group. A IDC destaca que os gastos com Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) nos países emergentes terá um crescimento de 7,1% na variação anual (2014/2015), ao mesmo tempo em que os países mais desenvolvidos terão um aumento de 1,4%. Quando se restringe a América Latina, a previsão de crescimento fica aproximadamente em 5,7%.

A tendência para 2015, ainda de acordo com a IDC, é que um terço do valor global de investimentos seja na Terceira Plataforma, termo que designa diversas soluções na área de TI, como serviços na nuvem, redes sociais (inclusive corporativas), aplicações de mobilidade, Big Data e Analytics.

Roberto Clementi, diretor de operações da SOFHAR Gestão&Tecnologia, destaca a importância de algumas tendências na área de TI para 2015: “A utilização da nuvem é uma crescente. Existe um grande investimento neste tipo de solução pelo fato das empresas perceberem os benefícios. O Big Data é outro fator em evidência. Trata-se de um conjunto de tecnologias com maior capacidade de armazenamento de informações e de maneira mais rápida. Na prática, as corporações conseguem manipular seus dados para a tomada de decisões”, explica.

Cloud Computing

Para a IDC, os serviços em nuvem responderão por U$ 118 bilhões em 2015, o que evidencia a importância da solução na atualidade. “Os objetivos para as empresas optarem por serviços em nuvem são, principalmente, diminuir custos, facilitar o dia a dia – em que documentos e dados podem ser acessados em qualquer lugar e por várias pessoas ao mesmo tempo –, e segurança. É uma realidade inevitável para qualquer tipo de corporação. Ao passar sistemas core para a nuvem, por exemplo, as empresas são incentivadas a realizar projetos mais ambiciosos”, ressalta Clementi.

Sistemas de armazenamento e servidores

Gartner estima que em 2015 os gastos em sistemas de armazenamento e servidores cheguem aos U$143 bilhões, um aumento de 1,8 %, quando comparado ao ano anterior. Já a previsão para o braço empresarial do mercado de software é que o setor chegue aos U$ 335 bilhões este ano, um aumento de 5,5 %.

Big Data e Analytics

Também são tendências para este ano, segundo a IDC. Softwares, hardwares e serviços responderão, ao longo de 2015, por U$ 125 bilhões. Ficarão em evidência projetos de Big Data com soluções de Analytics rich-media (imagem, áudio e vídeo). Também haverá um grande crescimento no fornecimento de soluções de Dados como Serviço com as empresas que concedem plataformas de análise na nuvem.

SOFHAR 2015

A empresa começa este ano com 245 colaboradores, cinquenta ocupações a mais que o mesmo período do ano passado. Wilmar Prochamnn, diretor-presidente da SOFHAR, ressalta que a perspectiva de crescimento da corporação é de 15%, quando comparada a 2014. “A área de TI segue aumentando muito, e quando se fala em soluções para empresas, com garantia de aprimoramento na coleta de dados, redução de custos, produtividade, mobilidade e benefícios no dia a dia, a importância fica ainda maior. Qual empresa não quer crescer? Este entendimento das instituições nos ajuda a também acompanhar o mercado do segmento, além de estarmos sempre em um processo de evolução”, avalia Prochmann.

Alta nas contratações no mercado de TI

O desenvolvimento de tecnologia da informação no Brasil tem movimentado o mercado de profissionais especializados na área. Em 2015 não será diferente. De acordo com dados da Brasscom (Associação Brasileira de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação), esse mercado emprega no Brasil mais de 1,3 milhão de pessoas e tem uma tendência de crescimento de oferta na faixa de 30% até 2016. E esse desenvolvimento do setor está buscando candidatos com habilidades que vão além, como conhecimentos em gestão, negociação, comunicação e criatividade.

Para a SOFHAR, a realidade da contratação de profissionais é realmente uma questão que provoca a reflexão e a busca de novas estratégias. O mercado tem uma crescente demanda por novos profissionais na área de TI, mas existe a escassez de mão de obra qualificada. A realidade dessa falta de profissionais qualificados muda a forma de recrutamento e retenção dos talentos.

Nesse sentido, a SOFHAR passou a adotar novas estratégias, investindo, entre outras coisas, no treinamento de profissionais. “A SOFHAR possui uma ampla e moderna estrutura para o treinamento. Há mais de 15 anos é o Centro de Treinamento oficial da Microsoft em Curitiba. Temos os cursos oficiais de todas as tecnologias Microsoft, ministrados por especialistas da SOFHAR que são Microsoft Certified Trainers. Também oferecemos aos profissionais de TIC um amplo portfólio EXIN de exames e programas de certificação, como por exemplo ITIL, Cobit, entre outros”, esclarece Prochmann.

Fonte: Literal Link Comunicação Integrada

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.