Adélia Woellner lança livro infantil em escolas municipais de Curitiba

O novo livro infantil de Adélia Maria Woellner, “O Jardim das Virtudes”, já está sendo divulgado para crianças e professores da rede pública municipal. A autora, membro da Academia Paranaense de Letras, estará presente em dez escolas, além da Biblioteca Pública, durante todo o mês de setembro, participando da série “Hora do Encontro”, em que a autora apresenta seu livro e conversa com as crianças sobre literatura.
Essas ações fazem parte da contrapartida proposta pela autora para a divulgação do livro, que conta com a distribuição gratuita para os dez Núcleos Regionais de Ensino (NRE) e serão destinados às bibliotecas das escolas municipais. A obra, que tem ilustrações da artista plástica Heliana Grudzien, foi publicada pela lei de incentivo à cultura da Fundação Cultural e da Prefeitura de Curitiba.
Para Adélia, que esbanja jovialidade no auge dos seus 75 anos, esta é uma grande oportunidade de estar próximo das crianças e mostrar como a literatura pode estar muito mais presente no dia a dia delas. “Durante o lançamento e os encontros, fico à disposição das crianças para falar sobre o livro, contar a história e responder às dúvidas”, explica.
As ações de lançamento do livro começaram no último dia 11 de setembro, quando Adélia Woellner participou do enceramento da Semana Literária promovida pela Escola Municipal Ditmar Brepohl, na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), e que levava seu nome. Na ocasião a autora foi recepcionada por mais de 400 crianças, que apresentaram uma peça teatral e poemas em sua homenagem. Outras cinco escolas públicas de Curitiba também já receberam Adélia e sua “Hora do Encontro”, além da Biblioteca Pública.
Do teatro para o livro
Seguindo um caminho inverso, já que, normalmente, é a literatura que inspira os espetáculos teatrais, dessa vez foi o teatro de bonecos “O Jardim das Virtudes”, do Grupo Almazém, com roteiro do diretor Gil Gabriel, que inspirou a criação do livro infantil de Adélia.
A parceria entre os dois é antiga. Começou com o espetáculo de bonecos “A menina que morava no arco-íris”, baseado no livro homônimo de Adélia e na qual Gil Gabriel foi o diretor em 2011. “Foi quando começou uma amizade mágica, sem explicação”, conta Gil.
Mal sabia ele que outra peça de seu repertório, encenada entre os anos de 2010 e 2012, e vista por Adélia, despertaria a vontade de escrever um novo livro. Segundo ela, a receptividade das crianças com relação ao espetáculo de bonecos despertou a intenção de oferecer uma obra literária nascida da dramaturgia encenada.
“A publicação do livro ‘O Jardim das Virtudes’ funciona como um forte instrumento de comunicação junto às crianças, fortalecendo ainda mais a mensagem do espetáculo teatral: cuidar da vida e do meio ambiente em que vivemos, praticando o respeito, sobretudo”, pontua a escritora.
Agenda de lançamento
As próximas ações de lançamento do livro infantil “O Jardim das Virtudes” e a “Hora do Encontro” acontecem em escolas municipais dos Núcleos Regionais de Ensino (NRE) e na Biblioteca Pública, nas seguintes datas e locais:
22/09 – 13h30: Escola Municipal Maria Clara B. Tesserolli – Rua João Ribeiro Lemos, 361 – Novo Mundo – (NRE Portão/Fazendinha);
24/09 – 9h: Escola Municipal Vila de Torres – Rua Chile, 836 – Rebouças (NRE Matriz);
24/09 – 13h30: Escola Municipal Omar Sabbag – Rua Pedro Bocchino, 140 – (NRE Cajuru);
28/09 – 9h: Palestra sobre a importância da literatura na educação durante a Semana Cultural da Secretaria Municipal de Educação, na Biblioteca Pública – Rua Cândido Lopes – Centro;
29/09 – 10h: Escola Municipal Eny Caldeira – Rua Guilherme Inhenfeldt, 51 – Bacacheri – (NRE Boa Vista);
Sobre a obra: O livro “O Jardim das Virtudes” conta a história de Clarinha, uma menina em idade escolar, que é dona do cachorro Pingo, e de seu avô Pedro, que possui um jardim que cuida com muito carinho. No jardim, as plantas não são identificadas pelos nomes, mas pelos sentimentos que elas transmitem.
Certo dia, Clarinha não encontrou o seu avô. Passaram-se os dias e o vovô não retornou. Vendo isso, Clarinha resolve cuidar de cada planta do jardim, com a mesma atenção e amor, como o seu avô.
Entre margaridas, maravilhas e rosas, ao cuidar de cada flor, a menina aprendeu sobre a amizade, a simplicidade e o amor, e quais virtudes existem e precisam ser cultivadas, assim como as flores.
Sobre a autora: Adélia Maria Woellner nasceu em Curitiba (PR), no dia 20 de junho de 1940. Em 1972, formou-se em Direito pela Universidade Federal do Paraná, foi professora de Direito Penal, entre 1973-1985, na Pontifícia Universidade Católica do Paraná, e funcionária da Rede Ferroviária Federal – Regional de Curitiba, onde exerceu funções de relevância, sendo a primeira mulher, na empresa, designada para o cargo de Superintendente Adjunto de Pessoal.
Pertence à Academia Paranaense de Letras (Cadeira nº 15); ao Centro de Letras do Paraná (do qual foi presidente no biênio 98-99); além de várias outras entidades literárias e culturais do Paraná e do Brasil. Entre prêmios e homenagens, recebeu a comenda “Medalha do Mérito Ferroviário” (RFFSA, RJ-1990); a Distinção Honorífica “Medalha de Mérito Fernando Amaro” (Câmara Municipal de Curitiba-2005) e o título de Cidadã Honorária de Piraquara (PR-2008).
Publicou mais de vinte títulos, entre poemas, crônicas, ensaio, pesquisa e literatura infantil. Para o público infantil, além da coleção Valores Humanos (12 volumes), em coautoria com Heliana Grudzien, pela Editora Expressão, editou também Férias no sítio, A menina do vestido de fitas (para colorir), A água que mudou de nome, Festa na cozinha – bom apetite, Vida Livre – a história do papagaio-da-cara-roxa, Coleção Tagarela (5 volumes), e A Menina que Morava no Arco-Íris, cuja história foi adaptada, por Gil Gabriel, como roteiro do teatro de bonecos criado e apresentado pela Almazem Teatro de Bonecos.
Sobre Gil Gabriel e o Grupo Almazém: Gil Gabriel (nome artístico de Gilmar Carlos da Silva) é ator, produtor, músico, bonequeiro, diretor do Grupo Almazem e está envolvido há mais de 20 anos com as artes no cenário paranaense. Em mais de 10 anos de existência, o grupo Almazem firmou-se no meio cultural paranaense por seus trabalhos sustentados por conteúdos relevantes, pela qualidade estética e pela versatilidade da sua equipe profissional. Os espetáculos da companhia já viajaram por mais de cem cidades em seis diferentes estados brasileiros, tendo como destaques o espetáculo “O Cirandeiro”, que obteve o Prêmio Gralha Azul nas categorias “Melhor Espetáculo Infantil” e “Melhor Ator”, sendo, ainda, indicado nas categorias de “Melhor Texto” e “Melhor Diretor”. Entre outras peças do repertório da companhia, em 2015 o grupo Almazem estreia “O Jardim de Francisco”, espetáculo aprovado pela Lei de Incentivo à Cultura da Fundação Cultural de Curitiba, e será apresentado em diversas escolas da região. (jornalismocuritiba@savannah.com.br)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.