Artigo: Dúvidas sobre a videolaparoscopia na ginecologia

Dra. Monica Tessmann Zomer Kondo e  Dr. William Kondo* 
A videolaparoscopia é uma via de abordagem cirúrgica minimamente invasiva que utiliza pequenas incisões no abdome (entre 6mm a 10mm) através das quais são introduzidos um sistema ótico (onde se visualiza a cavidade pélvica e abdominal) e os instrumentos cirúrgicos (para a realização da cirurgia propriamente dita). Desta forma, pode-se obter um melhor efeito estético, uma melhor qualidade do procedimento cirúrgico, menos dor no pós-operatório e, consequentemente, alta precoce e recuperação pós-operatória mais rápida.
Quase todos os procedimentos cirúrgicos realizados na cavidade pélvica e abdominal são passíveis de realização por videolaparoscopia. Após a instalação dos trocartes (dispositivos através dos quais a ótica e os instrumentos vão entrar na cavidade), se faz necessária a criação de um pneumoperitôneo (introdução de dióxido de carbono na cavidade abdominal) que criará um espaço dentro do abdome, afastando a parede abdominal das estruturas nobres e possibilitando a realização do procedimento cirúrgico planejado.
É possível ter uma boa visualização das estruturas? Sim, a videolaparoscopia tem uma grande vantagem em relação às cirurgias abertas na questão da qualidade de imagem, visto que, o sistema ótico utilizado na laparoscopia  proporciona uma ampliação da imagem de até 20 vezes o que normalmente se vê a olho nu, levando a uma maior precisão cirúrgica e finalmente uma melhor cirurgia.
Outra dúvida frequente das pacientes é se a videolaparocopia é mais segura, quando comparada a outras vias de abordagem. Na verdade a via mais segura é a que o cirurgião melhor domina; ou seja, a videolaparoscopia é segura quando realizada por mãos de cirurgiões bem treinados e experientes.
Já a anestesia é geral, visto o fato, de que para a realização da cirurgia é necessário a confecção do pneumoperitoneo (gás – dióxido de carbono) na cavidade abdominal, sendo necessária a entubação da paciente para a realização da cirurgia.
Procedimentos ginecológicos – Dentro da ginecologia, praticamente todos os procedimentos cirúrgicos podem ser realizados por videolaparoscopia, dentre eles: histerectomia (retirada do útero), salpingectomia (retirada das trompas), laqueadura tubaria, recanalização tubaria, cistos ovarianos, endometriose superficial e profunda, prolapsos uterinos e de cúpula vaginal, miomas, tumores ginecológicos, entre outros.
*Dra. Monica Tessmann Zomer Kondo e Dr. William Kondo, ginecologistas do Hospital VITA Batel, especialistas em cirurgia ginecológica minimamente invasiva.


Central Press

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.