Com menos riscos, novas cirurgias dão mais qualidade de vida a pacientes com problemas cardíacos

Da Finlândia à Serra Leoa, a maior causa mortis do planeta ainda são as doenças cardiovasculares, com índices que chegam a 30% em muitos países. Esse cenário cresce ainda mais quando se leva em conta a idade da população mundial, que tem aumentado, a jornada dupla de trabalho de boa parte das mulheres e o estresse que acomete os jovens cada vez mais cedo. Felizmente, a tecnologia tem ajudado – e muito – a minimizar os riscos e aumentar a qualidade de vida de quem sofre com problemas cardíacos.
Coordenador do serviço de cirurgias cardíacas e Diretor Clínico do Hospital Vita, o cardiologista Luiz Fernando Kubrusly é um entusiasta quando o assunto são novas técnicas cirúrgicas aplicadas ao coração. “A tendência das cirurgias hoje é ser menos agressiva e invasiva, com incisões cada vez menores e mais precisas. A conhecida ponte de safena, por exemplo, pode ser feita de forma muito mais simples com menor utilização das veias da perna e sim provenientes do tórax, da mamária. O corte também se reduziu, agora em torno de 8 a 10 centímetros apenas”, conta o médico cooperado da Unimed Curitiba.
Outra cirurgia conhecida, comum entre crianças e jovens, é o tratamento das cardiopatias congênitas – em especial deficiências na Comunicação Inter Atrial (CIA) – que também tem se beneficiado da tecnologia na última década. De acordo com Kubrusly, é possível fechar o orifício da CIA sem a necessidade de abrir o tórax do paciente, por meio de um dispositivo cirúrgico.
TAVI: vida nova para pacientes idosos
Nesse contexto, o procedimento que mais tem chamado atenção é o implante percutâneo valvar aórtico, o TAVI (Trancatheter Aortic Valve Implantation). “Essa cirurgia tem sido aplicada mais intensamente nos últimos dois anos. Em Curitiba, especificamente, estamos realizando há quase um ano. Já operamos quatro pacientes com o TAVI, todos com ótimos resultados”, detalha o cardiologista.
Num primeiro momento, o TAVI está sendo destinado a pacientes idosos mais graves, devido ao tempo de recuperação. “Antes operar do coração pacientes com mais de 80 anos, por exemplo, envolvia alto risco, já que era preciso abrir o peito. Hoje isso é possível e a pessoa sai do hospital em quatro dias, sem sequelas. Recentemente, operei um paciente de 86 anos, com uma incisão pequena de 4 cm abaixo do mamilo (que também pode ser feita pela virilha em alguns casos) para a implantação da válvula aórtica”, relata.
O custo do procedimento ainda é alto, mas tem cobertura. “A Unimed Curitiba cobre a realização do TAVI sob consulta, como outros procedimentos do tipo. Sem dúvidas, podemos dizer que cirurgias como essa são o futuro. As doenças do coração não matam mais como antes, se o paciente for encaminhado a um centro médico de referência em que essas tecnologias são realidade”, pontua Kubrusly.
Programa Vida Saudável
Para incentivar os cuidados com a saúde e a prevenção de doenças cardiovasculares, especialmente as relacionadas à prática de atividades físicas e educativas, a Unimed Curitiba promove o Programa Vida Saudável entre seus beneficiários. Entre as ações oferecidas estão a prática semanal de ginástica, avaliação de risco de queda na residência e orientações de cuidado com a saúde por meio de telefonemas, oficinas e grupos operativos.
A ginástica é realizada três vezes por semana, com duração de 50 minutos cada, para duas turmas, em parceria com o espaço físico do Shopping Estação. Para participar, o beneficiário pode se inscrever no setor de Promoção da Saúde, bastando apresentar atestado médico de liberação de atividades físicas, documento de identidade e carteirinha da Unimed Curitiba.
Sobre a Unimed Curitiba
Maior cooperativa de saúde do Paraná e uma das cinco maiores cooperativas do Sistema Unimed Brasil, a Unimed Curitiba foi fundada em 6 de agosto de 1971. Com 44 anos de mercado, reúne mais de 4.200 médicos cooperados e quase 600 mil clientes. “Cuidar da saúde faz a vida valer a pena” é a Missão da Unimed Curitiba, uma cooperativa Feita de Médicos.

André Nunes 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.