Cordoalhas dielétricas economizam recursos de manutenção

Utilizadas para sustentar cabos
ópticos ou telefônicos em redes aéreas, cordoalhas dielétricas facilitam
trabalho dos técnicos sem o perigo da energização da rede 

Os cabos
aéreos podem ser sustentados por cordoalhas de aço ou dielétricas, sendo que a
segunda opção, por ser dielétrica, dispensa aterramentos e ferramentas
especiais para corte. Além de ser mais leve, permite uma instalação mais rápida
e fácil em relação à cordoalha de aço.
Segundo
Sebastião Rezende, gerente técnico da Fibracem, empresa que atua no segmento de
comunicação óptica e fornece as duas variedades dos produtos, a cordoalha
dielétrica FRP dispensa o uso de ferramentas especiais.
“A grande vantagem desta cordoalha é a rigidez e também o fato dela não
escorregar quando está sendo puxada”, declara. Além disso, o isolamento elétrico
do material permite o desenvolvimento do trabalho dos técnicos, sem o perigo da
energização da rede. Outro grande atrativo é o preço, podendo chegar a metade
do valor da cordoalha metálica 3/16″.
A Cordoalha
de FRP possui maior rigidez em sua estrutura, facilitando o lançamento e sendo
mais resistente à tração no momento da instalação, evitando o escorregamento da
cordoalha na alça pré-formada, podendo suportar cargas de até 1.200 kg,
enquanto que o modelo de Aramida suporta até 1.000 Kg.
A Cordoalha
com Aramida, por sua vez, possui estrutura mais maleável e por este motivo
suporta menos carga de tracionamento no momento da instalação e utilização. No
entanto, pode sofrer raios mais agressivos no manuseio, por isso a escolha do
tipo de cordoalha deve respeitar a configuração do projeto.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.