Demétrio Magnoli: “Tudo o que se passa do outro lado do mundo se passa aqui também”

Pesquisador, jornalista e geógrafo, Demétrio Magnoli chega a Curitiba nesta quarta (30) para a conferência de abertura da 21ª edição do Encontro Nacional das Escolas Associadas da Unesco (PEA), no Hotel Bourbon, que sediará os três dias de evento. A temática abordada, “Pensar o planeta, pensar a cidadania global”, é justamente o objetivo desta edição do Encontro: a educação sobre a cidadania planetária.
Trata-se do sentimento de pertencimento à humanidade, uma mesma comunidade cada vez mais interdependente do ponto de vista político, econômico, social e cultural. É um conceito apenas aparentemente simples. A começar da ideia de cidadania. Embora pareça uma conquista estável e permanente, é preciso lembrar que a sua conquista é recente e incompleta. Um exemplo é a desigualdade de oportunidades na sociedade brasileira, a restrição aos direitos das mulheres em muitas nações e o racismo que persiste em muitas partes do mundo.
Para Demétrio Magnoli, um dos aspectos mais cruciais da globalização é que hoje as pessoas comuns discutem sobre temas planetários – por exemplo, quando um taxista faz comentários sobre o Estado Islâmico ou quando a Grécia torna-se assunto doméstico, explica Demétrio. “Antes esses temas eram restritos a especialistas. A meu ver, o Brasil tem uma tradição cultural fechada, com pouca atenção aos aspectos da geopolítica mundial. Mas tudo o que se passa do outro lado do mundo se passa aqui também”, afirma o pesquisador.
Cidadania global em três grandes questões
A dimensão planetária da cidadania ainda tem aspectos mais complexos, pois mesmo os direitos humanos apresentam nuances culturais que precisam ser compreendidas e negociadas em tratados e convenções internacionais, pois as interpretações são diferentes país a país.
Para Magnoli, há três grandes questões que farão parte da vida dos jovens, ao longo de sua vida, e que devem ser enfrentadas desde a escola regular. Em primeiro lugar, a relação entre os Estados e as Sociedades. “É preciso fazer um debate profundo sobre os níveis de controle do Estado sobre a sociedade e o nível de autonomia dos indivíduos”, aponta o geógrafo.
Outro ponto importante, segundo o conferencista, é a questão das identidades – cultural e de gênero, por exemplo –, e todas as opções políticas que isso envolve. Por fim, será determinante a relação entre economia e ambiente, muito ligada ao tema da sustentabilidade, também um dos eixos centrais do planejamento estratégico do PEA. “Esses três grandes temas vão atormentar os cidadãos do mundo, querendo ou não”, aposta Magnoli.
Sobre o Encontro do PEA
Pela primeira vez na capital paranaense, o Encontro Nacional do PEA-Unesco reúne representantes das 300 instituições que participam do programa no Brasil, organizado conjuntamente pela coordenadora nacional do PEA, professora Myriam Tricate, e pela coordenadora regional no Paraná, professora Adriana Karam Koleski, superintendente do Grupo Opet.
“Presente em 10 mil escolas de 181 países, o PEA foi criado no período do pós Segunda Guerra para estender as ações da Unesco na educação, área vista como investimento na prevenção de futuros conflitos mundiais. No Brasil, 300 escolas integram o programa, sendo 11 colégios paranaenses, incluindo o Colégio Opet, que é a escola anfitriã da 21ª edição do Encontro Nacional”, conta a coordenadora, ressaltando que um dos objetivos do evento é ampliar a adesão de escolas – principalmente da rede pública – ao PEA no Paraná.
A abertura oficial acontece no dia 30, às 19h, no Museu Oscar Niemeyer. O 21º Encontro Nacional do PEA-Unesco tem patrocínio da Editora Opet, da Itaipu Binacional, da Microsoft e da Fundação Odebrecht , e apoio da Geekie, Pais Atentos, Study Vacation, Grupo Polyndia e Colégio Bom Jesus.
Sobre o Grupo Educacional Opet
Fundado em Curitiba (PR), em 1973, o Grupo Educacional Opet é referência na área da Educação por promover a prática do conhecimento por meio de novas tecnologias. A instituição possui uma estrutura organizacional completa que reúne Colégio, Faculdade, Pós-Graduação, Educação a Distância, Opetwork Escola de Profissão, Editora, Gráfica e Instituto de Educação e Cidadania. O grupo acredita que o “saber fazer” é a maior ferramenta capaz de conquistar o futuro e valorizar o ser humano, por isso investe em educação e cidadania todos os dias.
21º Encontro Nacional PEA-Unesco
Quando: de 30 de setembro a 2 de outubro
Onde: Hotel Bourbon (Rua Cândido Lopes, 102, Centro)
Abertura: 30 de setembro, às 19h, no auditório do MON (Museu Oscar Niemeyer)
Informações: (11) 5685-1300 e www.peaunesco.org.br/encontro2015

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.