Desidratação causa confusão mental e pode até levar idosos a óbito

Idosos e crianças são as pessoas mais vulneráveis a sofrer desidratação. A afirmação é do clínico médico e nefrologista Ricardo Benvenutti, do Hospital VITA. Segundo o médico, as principais causas de desidratação são diarreia e baixa ingestão de líquidos, passando por outras causas, como perdas excessivas de suor sem reposição adequada e febre. 

Diabetes descontrolado, infecções em geral e a perda da percepção da sede também são responsáveis por causar desidratação em idosos, que acabam passando por lapsos de memória e confusão mental, sintomas que podem facilmente ser confundidos e associados a Alzheimer ou outras doenças neurológicas.

“A desidratação afeta todo o organismo e pode causar confusão mental, queda da pressão arterial, aumento dos batimentos cardíacos, angina ou dor no peito, falência dos rins, e até levar a morte”, alerta Benvenutti. Segundo o médico, os idosos têm menor “reserva hídrica”, e, mesmo desidratados, não sentem vontade de beber água, já que os mecanismos internos não funcionam como nos demais adultos. Isso acaba prejudicando o desempenho das reações químicas e funções de todo o organismo. “O importante é tomar algum líquido, pelo menos, a cada duas horas. Não é aconselhável beber num gole só, mas sim aos poucos”, destaca. 

As principais complicações causadas pela desidratação são relacionadas com anormalidades nos minerais do sangue (principalmente sódio e potássio), bem com pela perda do volume circulante (causando queda da pressão arterial).

Prevenção – A melhor maneira de prevenir a desidratação em idosos é a ingestão de cerca de dois litros de água e de outras bebidas saudáveis – chás, sucos, água de coco, leite, sopa, gelatina e frutas ricas em água (abacaxi, laranja, melão e melancia). Para facilitar, é aconselhável deixar água sempre disponível e próxima, principalmente ao tomar medicamentos e durante as refeições. Adaptar utensílios para facilitar a ingestão de líquidos, como canudos e copos com bico também é indicado. “É importante educar os idosos e familiares sobre os malefícios e sintomas da desidratação. Desta forma, consegue-se diminuir os riscos causados pela falta de líquido”, conclui.

Sintomas de desidratação:
– Confusão mental
– Fraqueza muscular
– Intestino preso
– Olhos profundos
– Tontura
– Câimbras
– Dor de cabeça
– Febre
– Irritação
– Desorientação e esquecimento
– Infecção urinária e pneumonia
– Taquicardia (batimentos cardíacos acelerados)
– Perda de peso
– Pele seca e com menos elasticidade
– Menor produção de urina
– Quedas
– Hipotensão (pressão arterial baixa)
– Piora em infecções

(centralpress@presskit.com.br)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.