Estoque de imóveis novos em Curitiba recua 7,3% em 12 meses

Estoque em queda e aumento do valor médio dos apartamentos residenciais novos. Segundo a última pesquisa divulgada pela Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi/PR), em parceria com a BRAIN Bureau de Inteligência Corporativa, esse é o panorama recente do setor de lançamentos imobiliários em Curitiba. O estudo revelou que nos últimos 12 meses, considerando julho como mês de referência, o número de unidades em estoque teve redução de 7,3% na comparação com o ano passado, de 12.038 para 11.154 unidades.

As quedas mais expressivas na capital paranaense, na comparação entre os períodos, foram para os imóveis econômicos (de R$ 170.001,00 a R$ 250 mil), em 29,7%, passando de 2.612 para 1.836 unidades disponíveis para a venda. A redução também foi significativa para os apartamentos residenciais standard (de R$ 250.001,00 a R$ 400 mil), de 3.509 para 2.866 unidades, e para os de padrão médio (com preço de R$ 400.001,00 a R$ 700 mil), que passaram de 1.993 para 1.819 unidades.

A presidente da Ademi/PR, Aline Perussolo Soares, explica que enquanto a escassez de áreas e o alto custos do terrenos e insumos da construção restringem o lançamento de empreendimentos mais econômicos na capital, o motivo para a redução do estoque nos outros padrões é diverso. “No caso dos imóveis standard e médio, um dos principais fatores da diminuição foram as campanhas de incentivo à compra realizadas pelas construtoras e incorporadoras. Esse é um produto típico para a classe média e muitas empresas também estão oferecendo financiamento direto como alternativa ao financiamento bancário”, argumenta.

O diretor de Pesquisa de Mercado da entidade de classe, Fábio Tadeu Araújo, afirma que o volume do estoque pode ser classificado como razoável em Curitiba. “Considerando uma cidade com mais de 600 mil domicílios, há um pouco de exagero em afirmar que um estoque de 11 mil unidades é elevado. Mesmo para o padrão standard que concentra o maior número de unidades ofertadas, a disponibilidade é de apenas 0,5% em relação ao total de domicílios na cidade”, analisa.

A redução de unidades disponíveis e dos lançamentos em Curitiba, em virtude das dificuldades para a viabilidade econômico-financeira, é maior para os empreendimentos supereconômicos (com preço de até R$ 170 mil). Isso pode ser verificado pela variação do custo por metro quadrado privativo do padrão.

A pesquisa da Ademi/PR mostra que, enquanto em julho do ano passado esse valor era de R$ 2.345,00, para o mesmo mês desse ano, o valor foi de R$ 3.842,00. Os outros imóveis que tiveram variação significativa do metro quadrado privativo no período foram os de padrão alto, luxo e superluxo, com reajuste anual de 9,8%, 11,9% e 11,2%, nessa ordem, todos acima do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) para o período.

No geral, considerando os últimos 12 meses, com base em julho, o preço médio do metro quadrado privativo para os apartamentos residenciais novos em Curitiba teve correção de 6,1%, chegando a R$ 6.354,10. Os apartamentos de quatro dormitórios lideram em valorização, com reajuste de 11,1%, a R$ 9.022,00 o metro quadrado privativo. No acumulado do ano, tomando como referência o mesmo mês, os imóveis novos na capital foram corrigidos em 2,6% e a variação mensal foi de 0,4%.

Bairros – Tomando como base o valor dos imóveis novos disponíveis para a venda em Curitiba, em julho, o Batel continua a deter o maior valor do metro quadrado privativo para studios, lofts e apartamentos de um dormitório, na média de R$ 10.368,00. O bairro também tem o maior valor do metro quadrado privativo para os apartamentos residenciais novos de dois e três dormitórios, com média de R$ 11.957,00 e de R$ 9.823,00. Em relação aos apartamentos de quatro dormitórios, o Campina do Siqueira continua na liderança, com preço médio do metro quadrado privativo a R$ 11.399,00, em média.

A pesquisa da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi/PR) e da BRAIN Bureau de Inteligência Corporativa, em julho de 2015, contou com uma amostra de 366 empreendimentos e 11.154 apartamentos residenciais novos (na planta, em construção ou concluídos), à venda por construtoras, incorporadoras e imobiliárias, em Curitiba.

<contato@memilia.com>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.