Obesidade infantil: crianças estão cada vez mais acima do peso

Bolachas, salgadinhos, refrigerante e muitas outras guloseimas. O que antes era consumido apenas de forma esporádica acabou se tornando parte da rotina de muitas famílias brasileiras. Segundo dados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) –  divulgada na semana passada – 60,8% das crianças de até dois anos já comem biscoito, bolacha ou bolo e 32,3% tomam refrigerante e suco artificial. Como resultado da alimentação desequilibrada e da falta de interesse pela prática de exercícios físicos e esportes, 56,9% dos brasileiros estão com excesso de peso. “Os novos hábitos da vida moderna, que privilegiam as refeições rápidas e práticas, tornaram a obesidade um dos maiores problemas da saúde pública, que já está afetando inclusive crianças”, explica Marcos Kozlowski, bioquímico e responsável técnico do LANAC – Laboratório de Análises Clínicas.
            Toda essa preocupação tem sentido, já que a obesidade está relacionada a males crônicos, como diabetes, doenças cardiovasculares, cálculos biliares e até mesmo alguns tipos de câncer. Para diagnosticar a doença, além do histórico clínico do paciente, é preciso realizar uma série de exames. “Um dos mais importantes é o que mede o colesterol. Em excesso, ele pode se depositar nas artérias e provocar seu entupimento”, afirma o bioquímico. Mas ainda existem ainda outros teste importantes, solicitados pelo médico após uma consulta minuciosa.
Mudanças
            Para prevenir ou tratar a obesidade, não existe outra saída: alimentação adequada e atividades físicas. “A geração das mídias sociais e do fast food precisa mudar seus hábitos. Não é preciso ser radical e abolir tudo que as crianças gostam, mas bom senso é fundamental”, explica Kozlowski.
            O recomendado é que os pais fiquem atentos ao peso dos filhos, principalmente se a família tiver casos de obesidade. Incluir verduras, frutas e legumes no prato, além de incentivar a prática de esportes e de brincadeiras como correr, pular e andar de bicicleta pode contribuir – e muito.
Sem cara feia
            Na Escola Atuação, a prática da alimentação saudável funciona muito antes da existência de uma lei específica que passou a garantir esse direito para os alunos de todas as redes de ensino. As duas sedes da instituição, no Santa Quitéria e no Boqueirão, contam com hortas, onde os alunos aprendem a plantar e podem levar o alimento para casa para desfrutar com seus familiares. Além disso, os estudantes do período integral – no total são 750 – fazem todas as refeições do dia de acordo com um cardápio elaborado por uma nutricionista. A proposta é que o aluno experimente um pouco de tudo que está no cardápio, com ênfase nas saladas. “O bom exemplo precisa vir de casa, dos hábitos que os pais passam para os filhos. Mas procuramos a cada dia incluir um leguminoso ou uma verdura, e isso vai virando rotina para as crianças”, explica Esther Cristina Pereira, diretora e psicopedagoga da Escola Atuação.
            Lá também foi estabelecido o Dia da Fruta – uma vez por semana, os alunos comem apenas frutas na hora do lanche. A pequena Maria Vitoria Sacher, de sete anos, já aprendeu a comer alface, tomate, rúcula, cenoura e frutas. “Adorei experimentar a couve-flor, mas a cenoura ainda estou aprendendo a gostar”.
Legislação
            A lei federal nº 11.947, de junho de 2009, garante a alimentação escolar saudável em todos os tipos de redes de ensino – escolas públicas, privadas, filantrópica e comunitária. Nesta questão, o Paraná saiu na frente em 2004 com a lei estadual 14.423, que determina que os serviços de lanches nas unidades educacionais deverão obedecer a padrões de qualidade nutricional e de vida, indispensáveis à saúde dos alunos.
Sobre o LANAC
Há 22 anos, o LANAC – Laboratórios de Análises Clínicas se diferencia por se manter, com orgulho, como empresa 100% paranaense. Hoje, o laboratório oferece mais de dois mil tipos de exames, além de coleta domiciliar e assessoria científica para médicos e conta com mais de 280 colaboradores. Recebe exames de 25 laboratórios, atuando como laboratório de apoio. A sede central, com 1.200 m², é o maior centro de análises clínicas de Curitiba. Além da sede central, o LANAC mantém outros trinta postos de coleta na cidade. A empresa participa de testes de proficiência do Controle Nacional de Qualidade da Sociedade Brasileira de Análises Clínicas, com nota excelente desde 1992 e mantêm a certificação ISO 9001/2008 atualizada desde 2004.
Sobre a Escola Atuação
Com duas sedes, localizadas nos bairros Santa Quitéria e Boqueirão, a Escola Atuação é referência em Curitiba por seu projeto pedagógico diferenciado, que aposta na criatividade e na responsabilidade para oferecer um ensino completo a seus alunos, que vão do Maternal I ao nono ano do Ensino Fundamental. Há 20 anos a Escola oferece ensino integral até o sétimo ano. Há também a opção de aulas em meio período. A instituição oferece aulas de informática, judô/dança, culinária, jardinagem e atividades na Cidade Mirim, construída no próprio terreno da escola, e em fazenda localizada na Região Metropolitana de Curitiba. Saiba mais: www.escolaatuacao.com.br.
aline@iemecomunicacao.com.br

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.