Orquestra de Câmara de Blumenau inicia nova turnê

Reunir uma orquestra, um violonista e um acordeonista, unindo o erudito e o popular, é um grande trabalho. E fazer com que os arranjos de cada espetáculo tenham uma unidade na sonoridade é ainda maior. “É como se fosse um abraço perfeito, pois o arranjo é uma arte porque tem que incorporar muito conhecimento musical, fazer uma integração entre o solista, todos os instrumentos e a música em si”, define o maestro Daniel Bortolosy. Ele se prepara para reger o espetáculo “Mestres do Sul” – a nova turnê da Orquestra de Câmara de Blumenau com a participação dos músicos gaúchos Renato Borghetti e Yamandu Costa, que se apresentação separadamente: nos dias 15, em Joinville (SC), e 16, em Blumenau (SC), o solista será Yamandu Costa; e nos dias 29 de setembro, em Itajaí (SC), e no dia 2 de outubro, em Curitiba (PR), a vez é de Renato Borghetti.
Os concertos têm a direção artística de Daniele Girardello, são realizados pelo Ministério da Cultura com o patrocínio das empresas Banco Bradesco e Cia. Hering. Os ingressos serão gratuitos e distribuídos na bilheteria dos locais de apresentação dois dias úteis antes do espetáculo, com limite de duas unidades por pessoa.
Entregar ao público uma sonoridade diferenciada e perfeita requer muito trabalho e preparação, pois há diferenças quando a música é tocada por um só músico ou por uma orquestra. “Na orquestra, o trabalho rítmico deve ser sincronizado, o que não ocorre no trabalho solo. O trabalho do maestro também é importante para decidir que elementos ressaltar e quais devem ficar em segundo plano”, explica Daniel Wolff, arranjador responsável pela música “Brejeiro” – que será tocada nas apresentações com Yamandu Costa. “É um reconhecimento para o trabalho de um compositor e/ou arranjador ter sua música executada por uma orquestra do porte da Orquestra de Câmara de Blumenau, sobretudo com um solista fantástico como o Yamandu”, ressalta o músico, que já teve obras tocadas por orquestras do Brasil, Argentina, Estados Unidos, Itália, Inglaterra e Alemanha.  
Para Arthur Barbosa, arranjador de uma da música “Barra do Ribeiro”, uma dasmais esperadas pela plateia nas apresentações da Orquestra de Câmara de Blumenau com Renato Borghetti, ressalta que esse projeto é muito especial. “Aproximar a música erudita da popular é incrível, pois quebra paradigmas e barreiras. A arte precisa sobreviver e temos muita qualidade musical para isso.” O arranjador e violonista Daniel Sá, que já participa desde a primeira turnê da orquestra com Renato Borghetti em 2012, concorda e acrescenta que o Brasil tem arranjadores que fazem uma união perfeita entre esses universos tão distintos. “Temos um grande número de arranjadores que transitam muito bem entre o erudito e o popular, fazendo um trabalho sério e competente”, diz ele.
Outro arranjador desta turnê é Sergio Rojas, responsável por “Milonga para Simões Lopes Neto” – música que nasceu para fazer parte da série “Contos Gauchescos”, obra de João Simões Lopes Neto, que foi adaptada para o cinema pelo diretor Henrique de Freitas Lima. “Essa adaptação é homenagem aos 100 anos de João Simões Lopes Neto”, conta Rojas. “É fantástico ver uma música produzida para o cinema ser tocada por uma Orquestra que tenho tanto carinho, como a de Blumenau, e pelo meu parceiro Renato Borghetti”, comenta.
As apresentações iniciam por Santa Catarina com o violonista Yamandu Costa. Confira a agenda dos espetáculos:
Orquestra de Blumenau convida Yamandu Costa
15/09 – Joinville/SC – Sociedade Harmonia Lyra, às 20h
16/09 – Blumenau/SC – Teatro Carlos Gomes, às 20h
Orquestra de Blumenau convida Renato Borghetti
29/09 – Itajaí/SC – Teatro Municipal de Itajaí, às 20h
02/10 – Curitiba/PR – Canal da Música, às 20h
Sobre Yamandu Costa
Considerado um dos grandes talentos do violão brasileiro, o músico Yamandu Costa é conhecido por misturar diversos estilos musicais, do choro a música clássica brasileira, passando pelas milongas, tangos, zambas e chamamés gaúchos com uma personalidade única em seu violão de sete cordas. Possui 23 álbuns próprios, participou de diversos festivais em todo o mundo e já ganhou o Prêmio Internacional Cubadisco pelo CD Mafuá, em Cuba e teve uma Menção do Prêmio ALBA pelo CD Lida, ainda sendo indicado para o Grammy Latino no ano de 2010.
Sobre Renato Borghetti
Com 24 gravações lançadas, Renato Borghetti é um dos símbolos da música do seu Estado. Expandiu as fronteiras da música gaúcha e do instrumento gaita-ponto para todos os continentes, sem perder a originalidade e identidade da música de sua terra. Pela sua natural experiência em outros estilos, que conheceu em suas diversas viagens pelo Brasil e pelo mundo, Borghetti pôde agregar riqueza cultural e influenciar seu trabalho com qualidade.
Sobre Daniele Girardello (diretor artístico)
Natural da região do Vêneto, na Itália, Daniele Girardello desenvolveu intensa atividade musical com diversas orquestras italianas, dentre elas a famosa Orchestra di Câmara di Venezia – “L’Offerta Musicale”. Em 1998, ocupou a cadeira de professor de violino da escola Media Statale (Comacchio) e também ensinou no conservatório G. Frescobaldi, ambos em Ferrara (Itália). Radicado no Brasil desde 2002, tornou-se referência no ensino do violino e atualmente é spallae diretor artístico da Orquestra de Câmara de Blumenau.
Sobre Daniel Bortolosy (maestro)
Um dos mais prmissores e atuantes regentes de sua geração, Daniel Bortolosy já trabalhou com diversos grupos sinfônicos brasileiros, além de orquestras na Argentina, Portugal, Itália, Bulgária, Cazaquistão, Inglaterra, República Tcheca, Romênia, Ucrânia e Rússia. Mestre em Artes pela Universidade de São Paulo (USP), esteve à frente da Belgrade Philharmonic Orchestra, em Belgrado, Sérvia, onde executou, pela primeira vez no país, as Bachianas n. 2 e n. 4 de Heitor Villa-Lobos.
Foi o primeiro maestro latino-americano a dirigir a Royal Oman Symphony Orchestra, no Sultanato de Omã, incluindo apresentações particulares para o ex-primeiro ministro britânico Tony Blair. É fundador e diretor artístico do “New Orleans Festival Brasileiro!”, dos Estados Unidos e, recentemente, foi jurado do concurso “Shabyt”, em Astana, Cazaquistão.
Sobre a Orquestra de Câmara de Blumenau
Desde 1981, a Orquestra de Câmara de Blumenau já realizou diversas turnês pelo Brasil e exterior, com apresentações nas mais famosas salas de concerto da Europa, como Smetana de Praga e o Mozarteum de Salzburgo. A Orquestra também tocou ao lado de grandes nomes da música mundial, entre eles, Jean Pierre Rampal, Maurice André, Ingrid Haebler, Arthur Moreira Lima, Paulo Bosísio, Helena Jank, Antônio Meneses, Domenico Nordio e Renato Borghetti.
Na última década, entrou numa nova fase com a direção artística do violinista italiano Daniele Girardello, adaptando-se à nova dinâmica do fomento à cultura. Por meio de recursos captados, através de projetos de incentivo, já realizou inúmeros concertos, incluindo duas turnês nacionais; apresentou-se com solistas e maestros convidados de destaque como Luiz Henrique Beduschi, Álvaro Siviero, Derico Sciotti, Michael Debost, Rita Costanzi e João Carlos Martins.
Expressa Comunicação

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.