Palácios do Brasil estimulam o turismo cultural

O Brasil tem mais de 200 palácios que ajudam a relembrar as raízes do período imperial. Eles também atuam como atrativos turísticos àqueles que viajam interessados em desvendar a trajetória de personalidades famosas que marcaram o país. Em uma das ruas mais antigas da cidade de Petrópolis (RJ), por exemplo, está o palácio onde viveu a Princesa Isabel e seu marido, o Conde D’eu.
A prefeitura da cidade também funciona em um palácio, o Sérgio Fadel, residência do ex-presidente Campos Sales, construído em 1872 e tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Alguns destes palácios constam em um estudo inédito da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), que mapeou 492 monumentos que contribuem para a compreensão da cultura brasileira em diferentes épocas de sua história, muitos deles atrações turísticas locais.
Entre as 22 categorias mapeadas, destacam-se árvores antigas, cemitérios, jardins, praças, casarões e palácios, de acordo com a  historiadora Cristiane Magalhães, autora da pesquisa. Na lista de palácios que fazem parte do patrimônio brasileiro ainda está o palacete do Batel, em Curitiba,  com arquitetura inspirada em modelos franceses da época e uma torre romântica. De acordo com a Secretaria de Cultura do Paraná, a construção foi erguida entre 1912 e 1914 para ser a moradia de Ildefonso Rocha e família, segundo o projeto do arquiteto René Sandrensky.
A cultura brasileira é um dos grandes atrativos para quem viaja pelo país. Com um número cada vez maior de edificações tombadas pelo patrimônio histórico, além de manifestações sociais e religiosas, é cada vez mais fácil encontrar quem planeje as férias desejando visitar um destino referência em cultura. Ela – a cultura – é um dos pilares para o desenvolvimento do turismo, de acordo com um estudo de competitividade do Fórum Econômico Mundial (FEM). O Brasil ocupa a oitava posição neste ranking, que mede o potencial dos atrativos culturais em 141 países.
PAC das cidades históricas
A fim de contribuir para o aumento do fluxo de visitantes em locais de grande valor imaterial, o Ministério do Turismo prevê investimentos de R$ 19 milhões em 34 cidades distribuídas por 17 estados brasileiros, com o objetivo de instalar a sinalização turística. Além disso, entre os 214 municípios contemplados pelo Pronatec Turismo, um programa de qualificação profissional do governo federal, 13 municípios foram escolhidos devido ao seu valor histórico.
Palácio onde morou a Princesa Isabel, em Petrópolis (RJ). Crédito: arquivo Iphan
(ascom@turismo.gov.br)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.