Qual a temperatura ideal do ar-condicionado para cada ambiente?

Uma recente pesquisa feita pela Universidade de Maastricht, na Holanda, provocou polêmica ao relatar que a temperatura do ar condicionado da maioria dos escritórios é definida com base em uma fórmula antiga, que usa taxas metabólicas masculinas. Assim, as mulheres, que têm o corpo menor e uma taxa metabólica mais lenta, passariam mais frio no trabalho. Mas será que, então, existe uma temperatura ideal para cada ambiente de trabalho?
Antes de tudo, é preciso entender que cada ambiente, sejam escritórios, salas, bancos ou shoppings, exige um estudo detalhado de climatização. Segundo Leonardo Ramon, engenheiro de aplicação comercial da Climasul, empresa paranaense responsável por soluções de climatização, esse estudo é feito por projetistas. “Primeiro é realizado um levantamento em campo, identificando fatores, como a localização da edificação e seus ambientes, sua área, número de ocupantes, quantidade e tipo de equipamentos existentes, tamanho e tipo de janelas, faces em que bate o Sol, ambientes vizinhos, tipo de atividade desempenhada, entre outros fatores”, exemplifica. Todas essas informações, já selecionadas e parametrizadas, são inseridas em um software de referência de mercado, a fim de definir a capacidade de climatização necessária.
A norma brasileira NBR 16401, de 2008, coloca uma série de premissas e recomendações a serem seguidas por projetistas de climatização. Segundo a própria norma, os parâmetros estipulados definem o ambiente térmico em que uma maioria de 80% ou mais das pessoas, de um grupo homogêneo em termos de atividade física e tipo de roupa usada, é suscetível para expressar satisfação em relação ao conforto térmico. Ainda, a norma destaca que a sensação de conforto térmico é essencialmente subjetiva, não sendo possível determinar condições que possam proporcionar conforto a todos, sem divergência.
“É preciso colocar que dentre as condições fisiológicas se encontra o gênero sexual. Sabe-se, realmente, que homens, mulheres e crianças sentem-se confortáveis termicamente de maneira diferente. Considera-se que o calor liberado por uma mulher adulta seja aproximadamente 85% do calor liberado por um homem adulto, já o calor liberado por uma criança seria aproximadamente 75% daquele liberado pelo homem adulto”, declara Ramon.
Então, o que fazer?

Encontrar uma temperatura que agrade a todos é o maior desafio e isso deve acontecer por meio do diálogo. A temperatura mínima ideal para o corpo humano de é de 18 graus. Abaixo disso, o corpo deve defender-se contra uma perda exagerada de seu próprio calor, que se traduz em uma sensação de frio. No trabalho, há uma relação entre a produtividade de uma pessoa e temperatura do ambiente em que ela se encontra. Um ambiente muito quente ou frio não contribui para uma produtividade maior.
Ainda, segundo Ramon, a temperatura considerada confortável para a maioria das pessoas é 24ºC, de forma que é possível que muitos escritórios tenham uma temperatura diferente definida nos dispositivos de controle. “Isso pode se dar devido à impossibilidade de pessoas com mais calor utilizarem vestimentas mais leves, como bermudas e camisetas, em escritório, ao passo que aqueles que estejam levemente com frio tenham a possibilidade de se agasalhar, ainda que não seja o ideal. É necessário que haja uma conversa a fim de encontrar uma regulagem de temperatura que atenda a todos”, defende.
<rodrigo.lorenzii@gmail.com>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.