Reestruturação de serviço reduz transit time de mercadorias para a Ásia

Em uma parceria entre a TCP – empresa que administra o Terminal de Contêineres de Paranaguá , e um grupo de armadores formado por MSC, MOL e Maersk, foi implantada recentemente uma reestruturação na linha marítima Ipanema, que atende os países da Ásia. Com a mudança, o Terminal ampliou o atendimento aos navios que utilizam a rota, aumentando o número de escalas semanais, dando mais agilidade logística e operacional tanto para importadores quanto para exportadores e reduzindo consideravelmente o transit time de mercadorias entre Brasil e Ásia.

Antes da reestruturação, o Terminal somente recebia os navios que deixavam o país em direção a Ásia (sentido norte). Agora, o Terminal é ponto obrigatório também na chegada dos navios ao Brasil (sentido Sul). “Anteriormente os navios que serviam a linha Ipanema iam até Buenos Aires e, na volta, paravam em Paranaguá para carga e descarga de mercadorias. A partir da mudança, eles atracam no Terminal tanto na ida quando na volta”, afirma Juarez Moraes e Silva, diretor Superintendente Comercial da TCP. Ele destaca as vantagens proporcionadas pela nova programação, como maior quantidade de escalas e frequência dos navios que servem a Ásia no Terminal. “Isto deve diminuir o tempo de espera em até quatro dias, gerando economia para exportadores e importadores ao reduzir o tempo de armazenagem”.
Com a reestruturação do serviço, são previstas sete escalas semanais, fazendo com que o Terminal receba pelo menos um navio por dia com origem ou destino para a Ásia. Na comparação com os demais portos que atuam em área de influência da TCP, o Terminal terá semanalmente mais que o dobro dos serviços.
Além da maior frequência, a capacidade do Terminal em receber os maiores navios de contêineres que fazem comércio internacional na América Latina, torna o serviço para a Ásia maior e mais rápido na comparação com os demais portos. “Não temos restrição de espaço para atracação de navios. Contamos com um cais de 879 metros, que permite que o Terminal receba até três navios de grande porte, simultaneamente. Além disso, com a capacidade para 1,5 milhão de TEUs/ano, somos referência em produtividade e escala”.
O diretor da TCP acrescenta, ainda, que as mudanças no serviço Ipanema fortalecem a posição de liderança do Terminal na região Sul do Brasil. “Atualmente a TCP atende 100% dos armadores que atuam na região. Dos cerca de 40 armadores existentes no mundo, aproximadamente 25 atuam na costa brasileira e a TCP trabalha com todos. Para nossos clientes é uma grande vantagem escolher um Terminal que trabalhe com todos os armadores e que ofereça possibilidade de contratar os serviços com o melhor custo possível”.
Sobre a TCP
A TCP é a empresa que administra o Terminal de Contêineres de Paranaguá – segundo maior terminal de contêineres da América do Sul, e a empresa de serviços logísticos TCP Log.
Após receber investimentos de R$ 365 milhões, um dos maiores aportes privados do setor portuário brasileiro nos últimos anos, a TCP atualmente tem capacidade para movimentar 1,5 milhão de TEUs/ano, conta com 320 mil m² de área de armazenagem e oferece três berços de atracação, com extensão total de 879 metros, além de dolfins exclusivos para operação de navios de veículos.
A atuação do terminal é complementada pela TCP Log, que oferece serviços de integração da cadeia logística; como armazenagem, estrutura para carregamento e descarregamento de contêineres, pátio para contêineres e transporte do modal rodo ferroviário ao terminal em Paranaguá.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.