Superávit acumulado no ano da balança comercial chega a US$ 8,744 bilhões

A balança comercial da segunda semana de setembro de 2015, com quatro dias úteis, registrou superávit de US$ 888 milhões, resultado de exportações de US$ 3,246 bilhões e de importações de US$ 2,358 bilhões. Na semana, foi registrada a exportação da plataforma de petróleo P-67, no valor de US$ 394 milhões, para a China. No ano, as exportações totalizaram US$ 134,759 bilhões e as importações US$ 126,015 bilhões, o que gerou um superávit US$ 8,744 bilhões. Os dados foram divulgados hoje pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).
Na semana, a média diária das exportações somou US$ 811,5 milhões, valor 2,5% acima da média diária de US$ 791,5milhões da primeira semana do mês. O resultado foi consequência do aumento nas exportações de produtos manufaturados (25,5%) – especialmente uma plataforma para extração de petróleo, aviões, laminados planos, polímeros plásticos, veículos de carga e óleos combustíveis. Por outro lado, caíram as vendas de semimanufaturados (-33,9%) – destaque para açúcar em bruto, couros e peles, celulose, óleo de soja em bruto, ouro em forma semimanufaturada –, e básicos (-4,3%), por conta de soja em grão, minério de ferro, carne de frango e suína, café em grão, milho em grão.
A média diária das exportações até a segunda semana de setembro deste ano (US$ 801,5 milhões) registrou alta de 8,7% no comparativo com o resultado de agosto de 2015 (US$ 737,4 milhões) em virtude do aumento nas vendas de produtos: manufaturados (22,7%) e básicos (1,8%). Entretanto, houve queda nas vendas de semimanufaturados (-5,2%). Já no comparativo com setembro do ano passado (média diária de US$ 891,6 milhões), houve retração de 10,1%.
Do lado das importações, houve retração de 9,7% no comparativo entre a média da segunda semana (US$ 589,5 milhões) e a média da primeira semana de setembro (US$ 653 milhões), explicada, principalmente, pela queda nos gastos com combustíveis e lubrificantes, equipamentos mecânicos, veículos automóveis e partes, produtos químicos orgânicos e inorgânicos, adubos e fertilizantes e farmacêuticos.
Nas importações, a média diária até a segunda semana de setembro de 2015, ante a média diária do mês passado, registrou crescimento de 2%, pelos aumentos de desembarques de adubos e fertilizantes (+41,5%), farmacêuticos (+36,7%), instrumentos de ótica e precisão (+12,9%) e produtos químicos orgânicos e inorgânicos (+6,1%).
Na comparação com a média diária de setembro de 2014 (US$ 934,5 milhões), houve redução de 33,5% em virtude de gastos, principalmente, com combustíveis e lubrificantes (-76,4%), siderúrgicos (-40,3%), aparelhos eletroeletrônicos (-29,8%), veículos automóveis e partes (-28,7%) e equipamentos mecânicos (-24%).

Ano
Até a segunda semana de setembro, as exportações totalizaram US$ 134,759 bilhões e as importações, US$ 126,015 bilhões, gerando um superávit US$ 8,744 bilhões. As exportações acumularam média diária de US$ 774,5 milhões, valor 16,2% menor que o verificado no mesmo período de 2014 (US$ 924,7 milhões). As importações apresentaram desempenho médio diário US$ 724,2 milhões, 21,9% abaixo do registrado no mesmo período de 2014 (US$ 927,6 milhões). No ano, a corrente de comércio soma US$ 260,774 bilhões, com desempenho médio diário de US$ 1,498 bilhão. O valor é 19,1% menor que o verificado em 2014 (US$ 1,852 bilhão).


Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.