TCP Log opera carga projeto de 102 toneladas em Paranaguá

A TCP Log, subsidiária logística da TCP (empresa que administra o Terminal de Contêineres de Paranaguá) realizou, na última semana, uma operação inédita de carga projeto – cargas caracterizadas por dimensões e ou peso acima dos convencionais de operações conteinerizadas. A operação aconteceu em Paranaguá com a retirada de um motor de âncora de navio, pesando mais de 102 toneladas, que chegou ao Terminal abordo de um navio porta-contêiner originário da China com destino final a cidade de Itajaí, em Santa Catarina. A peça está avaliada em mais de R$ 3,0 milhões.
Para a retirada da peça do navio, a equipe da TCP Log utilizou dois guindastes próprios MHC (sigla para Mobile Harbour Crane), simultaneamente, o que torna a operação inédita. “Foi uma operação especial já que o navio porta-contêineres não possui guindaste de bordo par auxiliar na descarga e também por estar operando simultaneamente com a carga e descarga dos contêineres deste mesmo navio. A retirada foi feita toda com equipamento de solo”, explica Thomas Lima, gerente da TPC Log. “O armador se sente confortável em utilizar o Terminal como destino, pois sabe que vai chegar aqui e a operação irá acontecer com o máximo de segurança possível já que a TCP possui todos os equipamentos necessários”.
Outro fator determinante para a escolha do Terminal como destino, além da capacidade operacional, é a vantagem competitiva apresentadas para o armador. “Mesmo que a carga projeto seja transportada de Paranaguá até Itajaí pela rodovia, o custo operacional da TCP torna-se menor e um diferencial atrativo que viabiliza a operação”, explica.
Trabalho conjunto
A operação da retirada da peça do navio foi um trabalho conjunto que envolveu mais de 40 pessoas. “O projeto logístico de retirada da carga foi desenhado em conjunto pela equipe da TCP Log, armador e cliente. Foram 15 dias de um planejamento detalhado que garantiram que a operação da carga projeto obtivesse sucesso”, diz o gerente da Log. 
A operação também envolveu o trabalho de equipes de diversas áreas da TCP, como a equipe de operação de pátio, manutenção e segurança do trabalho. “Pensamos em cada passo detalhadamente para que não ocorresse nenhum incidente no momento da retirada da peça do navio, garantindo a segurança de todos os colaboradores que participaram da operação e o indicador de avaria zero do time de Carga Projeto”, ressalta Lima.
Em 30 minutos a transferência da carga projeto para o solo foi realizada. Agora, a carga especial aguarda o desembaraço aduaneiro para seguir viagem, via rodoviário, até o estaleiro em Itajaí.
Sobre a TCP 
A TCP é a empresa que administra o Terminal de Contêineres de Paranaguá – segundo maior terminal de contêineres da América do Sul, e a empresa de serviços logísticos TCP Log.
Após receber investimentos de R$ 365 milhões, um dos maiores aportes privados do setor portuário brasileiro nos últimos anos, a TCP atualmente tem capacidade para movimentar 1,5 milhão de TEUs/ano, conta com 320 mil m² de área de armazenagem e oferece três berços de atracação, com extensão total de 879 metros, além de dolfins exclusivos para operação de navios de veículos.
A atuação do terminal é complementada pela TCP Log, que oferece serviços de integração da cadeia logística; como armazenagem, estrutura para carregamento e descarregamento de contêineres, pátio para contêineres e transporte do modal rodo ferroviário ao terminal em Paranaguá.
<ana.cunha@medialink.com.br>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.