Trabalho discute as relações humanas e transporta para o palco a celeridade e fluidez de um tempo que não é sentido

 A precariedade das relações humanas, o desamparo e a solidão de uma existência que escoa por entre as tramas de uma modernidade degradada são motes para a criação de “Quando se calam os Anjos”, trabalho inédito da Curitiba Companhia de Dança, que depois  de lotar salas em São Paulo e no Rio de Janeiro, chega a sua cidade natal para três apresentações, dias 11, 12 e 13 de setembro, no Guairinha.
Com direção coreográfica de Airton Rodrigues, bailarino e coreógrafo do Ballet Teatro Guaíra, “Quando se calam os anjos” transporta para o palco o universo pós-moderno virtual do século XXI, onde as relações entre as pessoas, construídas sem grandes obstáculos através de um simples “clique” no computador, se tornam cada vez mais vulneráveis e facilmente descartadas, revelando a idéia de ”ser líquido”, que o sociólogo Zygmunt Bauman utiliza para caracterizar a fragilidade dos laços humanos, uma vez que nada é sólido e para durar.
Ao mesmo tempo em que a tecnologia e a internet aproximam pessoas e propiciam a troca de informações e ideias num espaço de tempo nunca antes imaginado, levam ao descompromisso e à banalização dos sentimentos; estamos conectados em rede, mas sós. E esse paradoxo surgiu com muita intensidade durante o processo de criação”, revela o coreógrafo.
Nicole Vanoni,  diretora artística da companhia  que também compõe o elenco junto com outros 15 bailarinos, aponta “a indignação com a indiferença frente à violência impregnada na sociedade e o sentimento de impotência que nos tira a responsabilidade por este estado das coisas” como ignição para a concepção do espetáculo.
E essa angústia e incapacidade de lidar e resolver questões nada sutis da vida contemporânea são traduzidas na fisicalidade vigorosa dessa jovem companhia com uma dramaturgia que se constrói com pinceladas de ironia, sensualidade e inquietude”, sinaliza.
Além de “Quando se calam os anjos”, a companhia tem em seu repertório  outra obra coreográfica: A Lenda das Cataratas, com concepção de Rafael  Zago, que circulou pela região Sul do país em 2014. Atualmente a companhia conta com 16 artistas de vários estados do Brasil, com currículo e formação consolidada com os melhores profissionais da dança do país.
Mesmo com esta breve carreira, a companhia já participou de festivais no Brasil e no exterior e investe na formação integral do seu elenco privilegiando uma rotina de trabalho corporal intensa, dentro das técnicas mais contemporâneas e apropriadas para a proposta da Curitiba Cia. de Dança.
APOIO E PATROCÍNIO
“Quando se calam os anjos” é uma obra artística genuinamente paranaense, que conta com o incentivo do Ministério da Cultura (por meio da Lei Rouanet), apoio do Hospital Pequeno Príncipe, e patrocínio de empresas como Grupo Ultra (Oxiteno Nordeste, Ipiranga Produtos de Petróleo, Bahiana Distribuidora de Gás, Tropical Transportes Ipiranga); Copel Geração e Transmissão; Prati, Dona Duzzi & Cia.; Trox do Brasil; Bundy; Famiglia Zanlorenzi; Grupo Jufap (Aquilon Telecomunicações, Jufap Administração e Participação, Jufap Comércio de Asfalto); Sapore; Bellinati & Perez Advocacia; Gestamp Paraná; e Barduch.
SERVIÇO
Espetáculo “Quando se calam os anjos”
Data: 11, 12 e 13 de setembro/2015
Data: sexta e sábado: 21h e domingo: 19h
Local: Auditório Salvador de Ferrante (Guairinha) – Rua XV de Novembro, 971 – Centro
Ingressos: www.diskingressos.com.br – (R$20,00 e R$10,00 ½ Entrada)
Classificação Indicativa: Livre
*A bilheteria será revertida em prol do Hospital Pequeno Príncipe
FICHA TÉCNICA
“Quando se calam os anjos”
Direção Geral e Artística: Nicole Vanoni
Concepção Coreográfica: Airton Rodrigues
Elenco/Curitiba Cia de Dança: Ana Claudia Moreira, Antonio Adilson Junior, Beatriz Caravetto, Betina D’Agnoluzzo, Clarissa Cappellari, Erika Bartaline, Leonardo Lino, Luana Teodoro, Natanael Nogueira, Nathalia Tedeschi, Nicole Vanoni, Raul Arcangelo, Ricardo Alves Pereira, Rodrigo Leopoldo, Tatiana Araujo e William Sprung
Assistente de Direção: Claudio Fontan
Ensaiador: Antonio Adilson Junior
Trilha Sonora: Raul Arcangelo
Figurino: Paulinho Maia
Projeto de Luz: Osvaldo Gazzoti
Produção/Edição Audiovisual: Raul Arcangelo e Rafael Dorta
Preparação Corporal: Viviane Cecconello e Leandro Lara Santos
Direção de Produção: Radar Cultural Gestão e Projetos – Solange Borelli
*Vídeos sobre “Quando se calam os anjos” disponíveis no canal da Curitiba Cia. de Dança no Youtube:
Para mais informações: Agência Ehcom – (41) 3089-7373

<agenciaehcom@gmail.com>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.