Trupe curitibana Ave Lola leva peças do repertório para cidades do Norte brasileiro.

A trupe
curitibana Ave Lola Espaço de Criação vai percorrer milhares de quilômetros sem
sair do Brasil. Vai levar dois espetáculos do repertório da companhia –
Tchekhov e o Malefício da Mariposa – para os estados do Amapá, Pará, Roraima,
Amazonas, Acre e Rondônia, além de diversas comunidades ribeirinhas do Amazonas
de difícil acesso, o que vai exigir, inclusive, apoio da Força Aérea Brasileira
(FAB) para o transporte aos cantos mais recônditos.
A temporada
de mais de 60 dias começa no próximo dia 09 de setembro e integra os projetos “Ave
Lola Rumo ao Rio Negro”,
resultado do Prêmio Funarte de Teatro Myrian Muniz
e “Brasil: Fronteiras do Norte”, projeto aprovado pelo Ministério da
Cultura do Brasil, com patrocínio da Petrobras. Além dos espetáculos, a trupe
também ministra oficinas conduzidas pela diretora da companhia, Ana Rosa Tezza,
e bate-papos sobre arte e teatro nos locais em que as peças serão apresentadas.
Ave
Lola Rumo ao Rio Negro
O projeto
Ave Lola Rumo ao Rio Negro foi contemplado com o Prêmio Funarte de teatro
Myriam Muniz/2014, um dos mais importantes prêmios de teatro brasileiro. O
projeto prevê a circulação dos espetáculos “O Malefício da Mariposa”, de
Federico Garcia Lorca (2012) e “Tchekhov” criação coletiva da Ave Lola Trupe de
Teatro (2013). Os dois espetáculos foram produzidos em Curitiba e ganharam o
Troféu Gralha Azul, prêmio anual do teatro paranaense, como melhor espetáculo e
direção, entre outras premiações.
No estado do
Amazonas os espetáculos serão apresentados em Manaus
e em comunidades ribeirinhas do Rio Negro. Vinte comunidades ribeirinhas serão
contempladas
com as apre­sentações, incluindo as
comunidades do Tumbira, Uatumã e Três Unidos. Para chegar até esses locais, a
trupe vai contar com o apoio da Força Aérea Brasileira para o transporte. Caso
contrário, seriam neces­sários cerca de cinco dias de barco para o acesso.
A trupe
ainda ministra uma oficina de teatro gratuita e em cada comunidade será
realizada uma roda de histórias com o objetivo de trocar experiências sobre a
arte realizada. As atividades serão registradas em vídeo e fotografia, material
que fará parte de um documentário sobre o projeto, que será divulgado
posteriormente.
Brasil,
Fronteiras do Norte
O projeto
contempla 12 apresentações do espetáculo bilíngue português-espanhol “O
Malefício da Mariposa” de Federico García Lorca. As
apresentações serão realizadas em cidades fronteiri­ças dos estados do Amapá,
Pará, Roraima, Amazonas, Acre e Rondônia.
As cidades
em que o espetáculo será apresentado são: Oiapoque,
Oriximiná, Caracaraí, São Gabriel da Cachoeira, Assis Brasil e Guajará Mirim.
Além dos
espetáculos, serão ministradas a oficina “Um
percurso para a Criação” e a palestra “Teatro e Sociedade”. Todas as
apresentações desse projeto serão traduzidas simultaneamente na língua dos
sinais, em um vídeo que estará ao lado do palco.
Um debate
com o público após cada apresentação também será realizado. O grupo propõe as
oficinas e as rodas de conversa em conjunto com as apresentações justamente
para alimentar o debate sobre o
teatro brasileiro em estados com culturas diferentes.
“É uma
oportunidade única de trocar experiências, mostrar nosso trabalho e saber o que
está sendo feito de relevante nesses estados também”, considera a diretora do
Ave Lola Espaço de Criação Ana Rosa Tezza.
Sobre a Ave Lola
A equipe multidisciplinar da Ave Lola é formada por
profissionais das áreas de teatro, audiovisual e música. Um grupo de pessoas
que busca preservar a coletividade e a criatividade por meio de um trabalho
realizado em equipe. A Ave Lola tem desenvolvido um competente trabalho nas
áreas de teatro, formação em artes e audiovisual, conquistando a cada dia maior
reconhecimento do público. Em sua sede, em Curitiba,
a Ave Lola realiza temporadas de suas produções teatrais, exposições
e oficinas, além de receber artistas e companhias do Brasil e do mundo para
importantes trocas de experiências. Fundado em 2010, o grupo acumula premiações
e apresentações por todo o Brasil. O grupo é dirigido por Ana Rosa Tezza.
Sobre a diretora Ana
Rosa Tezza e novos projetos
Filha de uma médica e de um advogado apaixonados pelas artes
e pela leitura, sobrinha do premiado escritor Cristovão Tezza, a atriz,
diretora e produtora cultural Ana Rosa Tezza escolheu desde cedo o teatro como
profissão, influenciada por um ambiente intelectual e criativo. Para Ana, a
família deixou o legado mais importante: a vontade de realizar.
Graduada pela Faculdade de Artes do Paraná (FAP), ela tem
Pós-Graduação em Interpretação pela PUC do Chile e Mestrado em Artes Cênicas e
Poéticas Teatrais pela Universidade de Santa Catarina (UDESC). Em Santiago,
atuou na consagrada Companhia de Teatro Sombrero Verde, dirigida por Andrés
Peres Araya, um dos seus maiores influenciadores.
Foi com ele, por exemplo, que descobriu o verdadeiro
significado de “trupe” e o desejo intrínseco de montar o próprio grupo. Antes
de criar o Ave Lola, trupe curitibana que comanda desde 2010, porém, muitos
percalços e conquistas aconteceram.
Foi nessa época, que ela deixou o sonho falar mais alto e com
a “cara e a coragem” alugou uma pequena casa no bairro São Francisco. O
“casebre” como era chamado, foi ao poucos ganhando ares não apenas de espaço
cultural, mas de um símbolo de empreendedorismo. Foi nos poucos metros
quadrados que o grupo, então formado por cinco pessoas, passou a ensaiar. O
pequeno espaço, por necessidade, se transformou em palco para a estreia do
premiado “O Malefício da Mariposa”, que estreou no Festival de Teatro de
Curitiba, em 2012.
A estreia chamou a atenção da crítica especializada e de
formadores de opinião. O teatro até então improvisado lotou todos os dias e a
peça conquistou cinco prêmios Gralha Azul, o mais importante do teatro
paranaense, de oito indicações, incluindo Melhor Espetáculo e Direção. A partir
daí, Ana não teve mais dúvidas do caminho a seguir. A trupe estava montada.
“Para mim, o significado de trupe é algo muito maior é a formação de um grupo,
é uma forma de se fortalecer enquanto indivíduo e profissional”.
O Malefício da
Mariposa” reúne números impressionantes para a realidade teatral do Brasil. São
mais de 250 apresentações em 24 estados brasileiros, atingindo uma medida de
público de 75 mil pessoas
.
O espetáculo Tchekhov,  segundo no repertório do grupo, também teve
sucesso semelhante. Com um elenco de 10 pessoas e estreia em 2013, o espetáculo
teve 10 indicações ao Prêmio Gralha Azul, conquistando cinco premiações.
Essa movimentação tem chamado a atenção da crítica nacional.
Não por acaso, o grupo ganhou apoio de empresas importantes para viajar pelo
Brasil e será o primeiro grupo de
Curitiba a fazer uma turnê pelo Amazonas e populações ribeirinhas para
apresentar os dois espetáculos, além de oficinas e troca de informações com
entidades culturais locais.
“Um grupo de teatro não pode viver só de premiações. Quando a
gente se propõe a formar um grupo cultural, precisa devolver algo para
sociedade, executar projetos além da burocracia e da formalidade” diz Ana.
Por isso, o Ave Lola
tem dois grandes projetos ainda para 2015: ter uma sede própria e montar um
Centro de Pesquisa de Música e Teatro
. O projeto já tem algumas parcerias engatilhadas. O
principal objetivo é deixar registrado as pesquisas realizadas pelo grupo para
que outras pessoas tenham acesso às informações pesquisadas e para que a
cultura não se perca na história. Pois o conhecimento é o maior legado que um
grupo, pessoa ou instituição pode deixar para a sociedade.
Confira a agenda  do projeto “Ave Lola Rumo ao Rio
Negro”

Serviço

Confira a
agenda do projeto “Ave Lola Rumo ao Rio Negro”
Apresentações
do “Tchekhov” no Teatro Amazonas com apoio do SESC Amazonas e da
Secretaria do Estado de Cultura do Amazonas
19/09/15 –
20h – 1ª Sessão
20/09/15 –
18h – 2ª Sessão
21/09/15 –
20h – 3ª Sessão
Apresentações
do espetáculo “O Malefício da Mariposa” nas comunidades ribeirinhas, com
apoio da FAS – Fundação Amazonas Sustentável.
Comunidade
Tumbira
24/09/15 – 8h as 12h
– Oficina | 17h30 – Apresentação “O Malefício da Mariposa”
25/09/15 – 8h as 12h
– Oficina | 19h – Roda de Contação de História
Comunidade
Três Unidos
28/09/15 – 8h as 12h
– Oficina | 17h30 – Apresentação “O Malefício da Mariposa”
29/09/15 – 8h as 12h
– Oficina | 19h – Roda de Contação de História
Comunidade
São Francisco do Caribi (RDS do Uatumã)
02/10/15 – 8h as 12h
– Oficina | 17h30 – Apresentação “O Malefício da Mariposa”
03/10/15 – 8h as 12h
– Oficina | 19h – Roda de Contação de História
Confira a
agenda das apresentações do espetáculo “O Malefício da Mariposa”, em Manaus
08/10/15 –
9h
Local:
Parque do Mindu
09 e 10 de
outubro – 19h
Local: Les
Artistes café teatro

Apresentações pela Manauscult, Fundação Cultural de Manaus.
Exibindo anatezza.jpg
Exibindo avelola05.jpg

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.