11º Prêmio New Holland de Fotojornalismo divulga vencedores

As imagens campeãs foram clicadas por fotógrafos do Brasil,

do Peru e da Argentina

Além das quatro fotografias finalistas, outras 26 foram escolhidas para uma exposição itinerante pela América do Sul

Foto vencedora do Grânde Prêmio, de David Bedoya, do Peru.


O 11º Prêmio New Holland de Fotojornalismo já definiu seus vencedores. A imagem eleita como a que melhor retrata a agricultura no continente é a “Traje típico durante la fiesta de limpia acequia”, destacando a vestimenta tradicional de uma festa peruana e que representa a abundância durante a colheita. David Bedoya, de Lima, no Peru, foi o vencedor do Grande Prêmio e receberá R$ 15 mil. 
Ainda na categoria profissionais, o campeão do Prêmio Especial Máquinas New Holland foi Alberto Alejandro Elias, de Buenos Aires, na Argentina, com a foto “Puas”. Ele também será contemplado com R$ 15 mil. 
Imagem de Alberto Elias, campeão da categoria Profissionais Máquinas New Holland.

Na categoria aficionados, a melhor imagem foi clicada por Daniel Caron, de Curitiba (PR), intitulada “Dia de lavar a égua” e, na mesma categoria, o prêmio Especial Máquinas New Holland foi de Cristiano Buttner, de Jaraguá do Sul (SC), com “Retrato de um vida ativa”. Ambos recebem R$ 5 mil.                     
                             

       Na categoria Aficionados, venceram”Dia de lavar a égua” de Daniel Caron e “Retrato de uma vida ativa” de Cristiano Buttner.
Além das fotografias campeãs, 26 imagens de todo o continente foram selecionadas para participar da exposição itinerante que vai percorrer seis cidades da América do Sul até 2016.  
Comissão julgadora 
Os jurados da 11ª edição do Prêmio New Holland de Fotojornalismo se encontraram na Galleria New Holland, em Curitiba (PR), no dia 15 de setembro. Fizeram parte do júri Lucas Ramalho, diretor do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA); Ricardo Almeida, fotógrafo e coordenador do Departamento de Fotografia da Secretaria de Comunicação do Estado do Paraná; Paulo Fridman, fotógrafo da agência Bloomberg, de São Paulo (SP); Tânia Buchmann, supervisora dos cursos de Fotografia e Artes Visuais do Centro Europeu, de Curitiba (PR); e Erika Michalick, coordenadora de Sustentabilidade da CNH Industrial. 
Tânia destacou a qualidade do concurso. “Foi desafiador escolher essas imagens, que valorizam o campo de uma forma surpreendente: vi nas fotos muita riqueza de detalhes.” 
Na ocasião, a comissão julgadora visitou a linha de produção da fábrica e foi recepcionada pelo diretor Comercial da New Holland para o Brasil, Alexandre Blasi, e pelo presidente do Banco CNH Industrial, Carlo Sisto. “Cada imagem é importante ferramenta para unificar diferentes culturas em torno da agricultura, nos contando como é a vida no campo em diversos pontos do continente”, afirma. 
Beleza, técnica e representatividade da agricultura foram os principais critérios para a escolha. Para Paulo Fridman, foi uma experiência gratificante participar dessa edição e ver fotos com tanta qualidade. 
Durante os 11 anos do concurso, quase 20 mil fotos foram inscritas. Já ocorreram 172 exposições em 105 cidades do continente, com um público total de 415 mil pessoas.
Sobre o Prêmio New Holland de Fotojornalismo
O Prêmio New Holland de Fotojornalismo é um projeto cultural apoiado pela Lei de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura e patrocinado pela New Holland e pelo Banco CNH Industrial, com realização da Mano a Mano Produções Artísticas. Criado com o objetivo de valorizar o trabalho dos repórteres fotográficos, o projeto passou a premiar também fotógrafos não profissionais — pessoas aficionadas pela fotografia. Inicialmente restrito ao Brasil, o concurso foi ampliado primeiramente para o Mercosul e, ao completar dez anos, para toda a América do Sul, tornando-se o principal concurso fotográfico desses países. Além da premiação, o projeto realiza exposições fotográficas itinerantes pelas cidades dos países participantes. 
<suporte@cnhpress.com>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.