Últimas

7º Benchmarking Paranaense faz levantamento do setor de Recursos Humanos das empresas do Estado

Será lançado no dia 21 (quarta-feira), às 07h30 no Hotel Bourbon, o “7° Benchmarking Paranaense de Recursos Humanos”, estudo produzido pela Bachmann & Associados Ltda., empresa especializada em indicadores de desempenho e benchmarking, com a ABRH-PR. A pesquisa traz uma análise da gestão de pessoas no Paraná, baseada nos dados de 2014, com a participação de 218 organizações, e uma amostra com cerca de 200 mil colaboradores. Esta edição do Benchmarking avaliou 12 indicadores, como Absenteísmo, Rotatividade e Grau de Terceirização.
Segundo Dórian Bachmann, diretor da Bachmann & Associados, a maioria das métricas mostrou melhoria em relação a 2013. “Houve melhoria do desempenho e alguma adaptação a um ambiente de negócios mais difícil. Também ocorreu uma saudável redução no número de horas extras pagas e pequena melhoria na taxa de acidentes. Provavelmente como reflexo do momento vivido pelas empresas, também diminuíram a quantidade de terceirizados e o tempo dispendido em treinamento”, explica.
Seguem as
principais conclusões:
– A Rotatividade média anual das
organizações da amostra foi de 38,4%.
O valor mais baixo dos últimos 5 anos. O comércio, especialmente influenciado
pelo segmento varejista, apresentou rotatividade mais elevada que os demais
setores.
– Quase dois
terços das empresas da amostra apresentaram retenção inferior a 90% nos primeiros 90 dias da contratação. A
perda de colaboradores por iniciativa dos empregados foi mais frequente nos setores
de comércio e de serviços.
– As empresas
perderam, em média, 2,2% do tempo dos
empregados devido às ausências
. Apenas o absenteísmo médico provocou uma perda de 1,0% do tempo.
– As horas extras pagas corresponderam, em
média, a 2,9% das horas trabalhadas,
refletindo melhor gestão ou menor demanda do mercado.
– Nas
organizações da amostra, em média 39,7% dos
empregados receberam algum tipo de remuneração
variável
, mas 28% das organizações ainda não adotam qualquer forma de
remuneração variável ou por resultado.
– O maior
percentual de empregados sem o Ensino Fundamental estava nos segmentos da
construção pesada e de logística. Mas, em média, 10,2% dos empregados são pós-graduados.
– No geral, as
organizações investiram 1,2% do tempo de
seus empregados em treinamentos
(aproximadamente 32 horas por empregado no
ano).
– A Taxa de Frequência de Acidentes com
Afastamento (TFCA)
média de todas as empresas da amostra ficou em 8,01 acidentados por milhão de horas trabalhadas. A meta de “acidente zero” foi alcançada por 61 (28%)
das organizações.
O
Benchmarking Paranaense de
Recursos Humanos é patrocinado pela Klabin.
Serviço – Lançamento do
7° Benchmarking Paranaense de Recursos Humanos
Data:
21/10 (quarta-feira)
Horário:
07h30 às 10h
Local:
Hotel Bourbon – Cândido Lopes, 102

Inscrições
e informações: abrh-pr@abrh-pr.org.br
ou (41) 3262-4317

Escreva um comentário

Seu e-mail não será divulgado


*


Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com