A arte de contar e encantar pessoas

Em novembro, o Instituto História Viva completa 10 anos de existência. Para celebrar a data, a ONG curitibana promoverá no próximo dia 21 de outubro (quarta-feira), o 1° Festival de Contação de Histórias. Segundo a coordenadora Roseli Bassi, esta será uma oportunidade de estender para o palco o que, normalmente, é feito em hospitais, abrigos e lar de idosos.
            “É uma chance dos voluntários, crianças e idosos saírem da rotina e do ambiente que estão acostumados. Além disso, os voluntários poderão assistir à apresentação de grandes contadores – Carlos Daitschman e Richard Rebelo – alguns, inclusive, também subirão ao palco para contar histórias. No caso das crianças e dos idosos será um presente, já que muitos deles nunca foram ao teatro”, relata Roseli.
            De acordo com Carlos Daitschman, que há 20 anos atua como ator e contador de histórias, o principal objetivo do seu trabalho é tocar a alma das pessoas. “É incrível o poder das histórias na vida dos indivíduos – tem efeito e é para sempre. Não é à toa que consegui aliar trabalho e prazer na minha vida profissional. Tenho amor ao meu ofício”, relata.
            Segundo Daitschman, contar histórias é missão de vida. O trabalho do contador percorre desde contos populares e fatos cotidianos até histórias da literatura. “Não sigo uma linha ou gênero e nem conto para um público específico, mas sim para pessoas e o que toca alma do ser humano é a profundidade, a solidariedade e a sinceridade. Busco isso sempre.”
            Tão experiente quanto Daitschman, Richard Rebelo é ator há 23 anos e contador de histórias há 15. Apresenta desde monólogos e espetáculos teatrais a causos com moda de viola e stand up. “Contar histórias faz parte da minha vida, por isso, participar do Festival será gratificante. Toda vez que subimos ao palco, fazemos uma troca com o público.”
            Para quem quer iniciar a atividade, a dica do ator é: “busque habilidade com as palavras, de tal modo que as pessoas visualizem a história que você está contando”, diz.
Lançamento do Selo
            Durante o evento, também será feito o lançamento do Selo do Instituto que ao longo de uma década formou mais de 2 mil voluntários e, por ano, atende 14 mil pessoas em situações de fragilidade física e emocional. “O selo representa um marco em nossa trajetória, pois foram inúmeras as conquistas e impactos trazidos para o público fragilizado, aos voluntários e a todos que estão envolvidos de forma indireta neste trabalho”, expõe.
            Além do selo, a ONG também vai lançar uma linha de produtos institucionais (camisetas, buttons, cartões e canecas) para venda pela internet através do e-mail contato@historiaviva.org.br.
            Ao todo, 300 pessoas devem participar do Festival que é gratuito e será realizado no Teatro Regina Vogue (Shopping Estação). É válido ressaltar que, na semana do evento, a comunidade também poderá retirar o ingresso na bilheteria do teatro.
SERVIÇO:
Assunto: 1° Festival de Contação de Histórias do Instituto História Viva
Participação especial: Carlos Daitschman e Richard Rebelo
Data: 21 de outubro (quarta-feira), às 19h
Local: Teatro Regina Vogue (Shopping Estação)
Para conhecer os projetos do Instituto História Viva, acesse: www.historiaviva.org.br 
 <karen.krinchev@smartcom.net.br>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.