Afinal, em que mundo o franchising vive?

O estudo divulgado pela Associação Brasileira de Franchising (ABF), em agosto, indica que o faturamento do setor de franquias cresceu 11,2% no primeiro semestre em comparação ao mesmo período do ano passado, totalizando R$ 63,8 bilhões. Já no 2º trimestre, o crescimento foi de 13,1%, com receita de R$ 32,5 bilhões.
Muitas pessoas ficam se perguntando qual o segredo do mercado de franquias para crescer em meio a tanta turbulência na economia brasileira. Para explicar melhor esse paradoxo, devemos entender que estamos falando de franqueadoras que aplicam as melhores práticas mercadológicas para entrar nesse setor, o que se aplica um criterioso diagnóstico empresarial, uma avaliação consistente do mercado, alinhamento do DNA (identidade e cultural) entre outros estudos que permitam uma expansão segura a todos os envolvidos.
Feito isso, é importante falar de um dos pontos cruciais para esse sucesso. O sistema do Franchising está inserido no composto de marketing (marketing mix), também conhecido como os 4 Ps do marketing: um conjunto de variáveis controláveis que influenciam a forma como os consumidores respondem ao mercado e consistem no que a empresa pode fazer no sentido de influenciar a procura de um produto, visando alcançar o nível desejado de vendas. Perfazem os 4 Ps: Produto, Preço, Praça e Promoção.
O “P” que a que me refiro é um dos grandes influenciadores na decisão de compra dos consumidores. Chamado de Praça ou Ponto de Venda (PDV), esse “P” pode definir o sucesso ou o fracasso de um empreendimento e dele devemos extrair o melhor dos elementos estudados nos outros Ps, afinal, todo negócio tem um público alvo definido que deverá ver em seu Produto uma solução para suas necessidades, um valor que articule benefícios necessários ao Preço e uma Promoção que forneça informações relevantes.
Mas afinal, onde podemos encontrar tudo isso em um só lugar? A primeira palavra que nos vem à mente é: Shopping Center! É lá mesmo, onde a maioria das unidades franqueadas se encontra. Nos EUA, 68% do faturamento do varejo está dentro desses centros de compras e o Brasil está querendo se aproximar desses números (hoje não chegamos a 40%), com as grandes redes expandindo, principalmente, no interior dos estados. Devemos alertar que tão difícil quanto ser aprovado para entrar nos shoppings é se manter dentro deles. Assim, é necessário um estudo detalhado sobre o custo de ocupação, para que o aluguel e condomínio não sejam seus principais sócios.
Mas então, qual a verdadeira magia desse lugar? Chama-se trabalho!  Enquanto a maioria do comércio varejista está na rua, as franqueadoras procuram os shoppings centers e lá trabalha-se 12 horas por dia, 7 dias por semana nos 12 meses no ano. Enquanto a maioria está descansando com suas famílias em casa, desfrutando o final de semana, os empresários locados em Shopping Centers estão organizando suas lojas, muitos desde as 8 horas da manhã, para aproveitar o grande fluxo de compradores do sábado e domingo. São 104 dias a mais de trabalho por ano e isso deve explicar o porquê enquanto empresas normais trabalham com um índice superior a 50% de fechamento em 2 anos, as franqueadoras trabalham com 5%.
Agora imagine o Brasil inteiro trabalhando 104 dias a mais por ano! Isso parece uma escravidão forjada, não? Pois então, antes de pensar em comprar uma franquia, pense em trabalho e, pelo menos nos 2 primeiros anos de empresa, nem pensar em férias! As franqueadoras irão te dar todo o apoio, mas o executor será você e, para isso, precisa ter disposição e abdicar de muitas coisas que hoje, como executivo de uma empresa, você desfruta!
O artigo foi escrito por Rafael Sartori,  diretor Nacional de Franquias, com uma expansão de mais de 100 lojas no Brasil. Educador da maior rede de franquias em Ensino Técnico da América Latina no curso de Capacitação em Rotinas Administrativas. Fundador da Dentes & Números – empresa especializada em Marketing e Gestão em Saúde. Criador do 1º Curso de Gestão e Marketing em Odontologia a nível de extensão –  contendo 80 horas, sendo ministrado na Universidade Positivo, em Curitiba.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.