Agropixel desenvolverá aplicativo para auxiliar a gestão de máquinas agrícolas e IAPAR

A Agropixel, empresa ligada à Incubadora Internacional de Empresas de Base
Tecnológica da Agência de Inovação Tecnológica da Universidade Estadual de
Londrina (Intuel/ Aintec), assinou uma cooperação com o Instituto
Agronômico do Paraná (IAPAR), na semana passada, para desenvolver um
aplicativo que vai auxiliar o pequeno e médio produtor na gestão de
máquinas e equipamentos agrícolas.

A aplicação estará disponível para acesso por meio de aplicativo em
smartphones Android e navegadores web e tem como objetivo fornecer
informações ao gestor agrícola para obter melhor desempenho dos seus
maquinários agrícolas, reduzindo custos e melhorando a eficiência por meio
de controle.

Segundo Walter Maier Neto, sócio da Agropixel, o projeto vai atender a
demanda do Instituto na gestão de dados e o potencial da empresa na
análise dessas informações. A expectativa é que a partir do aplicativo, o
IAPAR tenha acesso às bases de dados sobre o parque de máquinas agrícolas,
o que vai permitir um planejamento de pesquisas e identificação de novas
demandas dos produtores.

Para a Agropixel, na opinião de Walter, a oportunidade está justamente em
se perpetuar no mercado. “No processo natural de nascimento do produto, a
pesquisa de mercado e o marketing são ações que geram um esforço para o
pequeno negócio. Essa parceria vai possibilitar uma entrada no mercado, o
teste de ideias e o conhecimento de novas possibilidades relacionada à
tecnologia”, explica o empreendedor.

Já para José Antônio Tadeu Felismino, diretor de Inovação e Transferência
de Tecnologia do IAPAR, a parceria será boa para os dois lados. “Para a
Agropixel, que é uma startup e está na incubadora, ter essa relação com
uma instituição como o IAPAR é algo fundamental. E para o Instituto também
é muito importante porque encontramos um parceiro externo, motivado,
empreendedor, que está se viabilizando e que poderá desenvolver essa
solução e nos ajudar a cumprir a nossa missão junto aos produtores
rurais”, ressaltou.

Expectativa
O projeto de cooperação tem um prazo de 18 meses. “Em oito meses já
devemos estar com o piloto pronto, após isso começaremos a fase de teste
dentro do ambiente experimental do IAPAR e depois vai para o mercado”,
explica Walter. A solução não terá custos para os pequenos produtores e
fará parte do portfólio da empresa para atender a grandes produtores.

aintecimprensa@uel.br

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.