Alta do dólar impulsiona turismo nacional

O cenário já é bem conhecido: economia nacional com o freio de mão puxado, dólar e juros em alta e um prognóstico nada positivo para este e para o próximo ano. As opções diante dessa situação são poucas – sucumbir ou reagir. Para Chieko Aoki, presidente e fundadora da rede Blue Tree Hotels, a crise é um ótimo momento para aprender. “Quando está tudo bem, a gente aprende menos. Durante a crise, se aprende a valorizar as coisas e fazer mais com menos. Você aprende a enxergar nichos de mercado e identificar onde pode melhorar”. É com esse pensamento que a “dama da hotelaria”, como é conhecida, coordena os mais de 20 hotéis da rede e cerca de 2.500 funcionários e se tornou uma referência na área. 

No caso do setor de hotelaria e hospitalidade, isso é uma realidade e pode significar, na verdade, um grande estímulo disfarçado de recessão. O atual cenário impôs algumas mudanças aos hábitos dos brasileiros. Os turistas que antes viajavam para o exterior nas férias, agora já estão se programando para conhecer as belezas naturais brasileiras e escapar do câmbio desfavorável. Para Cícero Vilela, diretor de Marketing e Vendas da Rede de Hotéis Deville, essa tendência será sentida principalmente na temporada de verão de 2016, mas é preciso estratégia e bom senso do setor. “Os hotéis e companhias aéreas devem aproveitar esta época com sabedoria e definir tarifas condizentes com o cenário econômico atual. Subir os preços, deixando-os tão ou mais caros que os praticados no exterior, será uma ação equivocada”, analisa ele. 

Além do cenário econômico, grandes eventos esportivos como a Copa do Mundo e as Olimpíadas ajudam o Brasil a se consolidar como um mercado promissor na área de hospitalidade e hotelaria. “A área apresenta números crescentes há cerca de 10 anos”, afirma Morgana Guzela, coordenadora do curso de Hotelaria do Centro Tecnológico Positivo. Para ela, o atual cenário pede uma dedicação extra na qualidade dos serviços oferecidos e também na inovação. “A área hoteleira está em constante demanda por profissionais e tem um vasto campo para expansão e atuação. Seja no turismo tradicional ou, como no caso de Curitiba que é forte no turismo de negócios e eventos, as cidades brasileiras tendem a atrair um número maior de público”, analisa ela. Cícero Vilela acredita também que a hotelaria no Brasil deverá passar por um processo semelhante ao que ocorreu em países desenvolvidos, que viu as redes de hotéis crescerem e se profissionalizarem cada vez mais. “Isso representa um leque ainda maior de oportunidades para os profissionais da área e uma demanda maior por qualificação”, acrescenta o diretor. 

De acordo com o Ministério do Turismo, no Brasil existem cerca de 28 mil estabelecimentos, entre albergues, pousadas e hotéis. Outras pesquisas apontam cerca de 450 mil quartos, divididos entre as categorias hoteleiras. De qualquer forma, este é o cenário que os profissionais que pretendem ingressar na área têm pela frente. O Centro Tecnológico Positivo lança em 2016 o curso de Hotelaria para atender justamente a essa demanda, com profissionais focados na prática e com sólido conhecimento do setor. Os alunos terão um ampla base de conhecimentos sobre hospitalidade, recepção, gastronomia, lazer e recreação, comercial, operação, logística, composição dos quartos e muitos outros serviços que podem ser oferecidos em um hotel. 

O curso de graduação superior tem dois anos de duração e foi planejado para suprir a lacuna existente hoje no mercado. De acordo com Chieko, as pessoas que já atuam no setor estão procurando se aperfeiçoar e a busca por novos colaboradores não para. “Eu tenho uma grande equipe e sei que estão se aperfeiçoando, mas eu preciso de muito mais gente entrando e se aperfeiçoando nesse setor. E quem se especializa em hotelaria pode trabalhar em hospital, no varejo, em todos os outros setores. Porque serviço é uma parte de tudo, quem sabe servir, serve para qualquer negócio”, afirma ela. 



SERVIÇO
Curso de Hotelaria – Centro Tecnológico Positivo 
Campus Praça Osório – Praça Gen. Osório, 125 – Centro, Curitiba – PR
Informações: www.up.edu.br
Início das aulas: fevereiro de 2016


Sobre o Centro Tecnológico Positivo – O Centro Tecnológico (CT) Positivo materializa, na Educação Superior, a excelência que o Grupo Positivo alcançou na oferta de educação. Para assegurar uma sólida formação profissional, com base nos valores do saber, da ética, do trabalho e do progresso, e adequada às exigências do mercado de trabalho, mantém parcerias com diversas entidades nacionais e internacionais. Fundado em 2009, o CT Positivo oferece Cursos Superiores de Tecnologia (Tecnólogos) objetivos, práticos e rápidos, com duração de dois a três anos, em cinco unidades: Batel, CIC, Ecoville, Hauer e Praça Osório. Entre os diferenciais do Centro Tecnológico Positivo estão a infraestrutura de ponta, com salas e laboratórios modernos e especializados; o corpo docente com experiência prática; a oferta de disciplinas em formato modular; e os programas dos cursos construídos em parceria com empresas.


Cícero Vilela, diretor de Marketing e Vendas da Rede de Hotéis Deville (Crédito: Divulgação)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.