Balança comercial registra superávit de US$ 102 milhões na quarta semana de outubro

A balança comercial da quarta semana de outubro de 2015, com cinco dias úteis, registrou superávit de US$ 102 milhões, resultado de exportações de US$ 3,910 bilhões e de importações de US$ 3,808 bilhões. No ano, as exportações totalizaram US$ 156,927 bilhões e as importações US$ 145,799 bilhões, o que gerou um superávit US$ 11,128 bilhões. Os dados foram divulgados hoje pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).
Na semana, a média diária das exportações somou US$ 782,1 milhões, valor 1% acima da média diária de US$ 774,6 milhões registrada até a terceira semana do mês, como consequência do aumento das exportações de produtos manufaturados (10,4%), principalmente de aviões, automóveis de passageiros, suco de laranja não congelado, laminados planos, veículos de carga, motores para veículos, óleos combustíveis, tratores. Por outro lado, caíram as vendas de produtos semimanufaturados (-8,7%) em razão de celulose, semimanufaturados de ferro/aço, couros e peles, ouro em forma semimanufaturada, e de produtos básicos (-4,9%), em especial petróleo em bruto, minério de ferro, milho em grãos, carnes de bovino e de suíno, fumo em folhas.
Pelo lado das importações, a média diária da quarta semana (US$ 761,6 milhões) foi 8,2% acima da média diária das importações até a terceira semana de outubro (US$ 704 milhões), explicado, principalmente, pelos gastos com combustíveis e lubrificantes, químicos orgânicos e inorgânicos, farmacêuticos, borracha e suas obras, cereais, e cobre.
Mês
A média diária das exportações até a quarta semana de outubro deste ano (US$ 777 milhões) foi 2,5% menor do que a média registrada em todo o mês de outubro do ano passado (US$ 796,9 milhões) em especial por conta da retração das vendas de produtos semimanufaturados (-13,7%) –ferro fundido, couros e peles, semimanufaturados de ferro/aço, alumínio em bruto, açúcar em bruto, e ferro-ligas –, e manufaturados (-0,9%) – açúcar refinado, autopeças, suco de laranja não congelado, óxidos e hidróxidos de alumínio, motores para veículos, laminados planos, máquinas e aparelhos para terraplanagem. Entretanto, houve aumento nas vendas de produtos básicos (1,6%), especialmente soja em grão, milho em grão, minério de cobre, farelo de soja, fumo em folhas, algodão em bruto. No comparativo com a média diária de setembro deste ano (US$ 769 milhões), houve alta de 1%, como resultado do aumento nas vendas de produtos básicos (5,5%), e redução nas exportações de manufaturados (-2,1%), e semimanufaturados (-3%).
Nas importações, a média diária até a quarta semana de outubro deste ano (US$ 722 milhões), ficou 14,9% abaixo da média de outubro do ano passado (US$ 848,2 milhões), em especial pela queda nas compras de siderúrgicos (-35,1%), equipamentos elétricos e eletrônicos (-30,9%), veículos automóveis e partes (-29,4%), plásticos e obras (-26,4%), instrumentos de ótica e precisão (-20,8% e equipamentos mecânicos (-18,7%). No comparativo com a média diária de setembro deste ano (US$ 628,7 milhões), registrou-se aumento de 14,8%, pelos crescimentos em combustíveis e lubrificantes (83,5%), químicos orgânicos/inorgânicos (34,3%), equipamentos mecânicos (12,5%) e farmacêuticos (3,4%).
Ano
Até a quarta semana de outubro, as exportações totalizaram US$ 156,927 bilhões e as importações, US$ 145,799 bilhões, gerando um superávit US$ 11,128 bilhões. As exportações tiveram média diária de US$ 773 milhões, valor 15,3% menor que o verificado no mesmo período de 2014 (US$ 913,1 milhões). As importações apresentaram desempenho médio diário US$ 718,2 milhões, 22,1% abaixo do registrado no mesmo período de 2014 (US$ 922,4 milhões). No ano, a corrente de comércio soma US$ 302,726 bilhões, com desempenho médio diário de US$ 1,491 bilhão. O valor é 18,8% menor que o verificado em 2014 (US$ 1,835 bilhão).
<ASCOM@mdic.gov.br>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.