Cada vez mais popular no Brasil economia colaborativa preza pela experiência

Ao unir desconhecidos com interesses e necessidades comuns, plataformas, redes sociais e aplicativos facilitam o compartilhamento e a troca de serviços e objetos reduzindo o desperdício e aumentando a eficiência no uso dos recursos naturais. O Fleety, primeira rede de compartilhamento de carros entre pessoas da América Latina, levanta essa bandeira e propõe que os usuários de seus serviços enxerguem além do benefício financeiro da plataforma. O objetivo é que aproveitem a experiência.
Guilherme Nagüeva, responsável pelas estratégias digitais do Fleety, atenta para essa questão da vivência. “Todos acreditam que o mais legal na economia colaborativa é a facilidade, praticidade e economia. Mas essa é a opinião de que nunca usou o sistema. O mais legal no sharing é a experiência, é viver algo que jamais você vivenciaria em nenhum outro lugar”, defende.
Para utilizar os serviços do Fleety basta se cadastrar na plataforma online. Os valores para alugar os veículos variam entre R$ 5,00 e R$ 50,00 a hora, desde veículos populares até os mais luxuosos. O pagamento é realizado por cartão de crédito e evita, dessa forma, a inadimplência. A empresa cobra uma taxa de até 20% sobre o valor das transações, que incluem assistência 24 horas e seguro sobre roubo, morte, invalidez e colisões. Portanto, os proprietários não precisam acionar seus seguros particulares caso haja alguma avaria.
A plataforma incentiva a comunicação entre os membros da rede e, por isso, motoristas e proprietários podem e devem conversar para acertar todos os detalhes do processo de locação via chat disponível no site. Desde o local e horário onde o veículo será retirado e devolvido, até o quanto de gasolina deve ser resposta no veículo. 
Para Nagüeva, a economia colaborativa é um sistema inteligente. “Quando falamos em compartilhar, aumentamos nosso leque de opções. Hoje, pelo Fleety eu posso ter acesso a uma caminhonete para fazer minha mudança, a um carro de luxo para ir a um casamento ou um carro simples para viajar. Eu posso ter qualquer carro, sem necessariamente ter um. O custo disso é mais barato que qualquer outro meio tradicional. Eu só preciso que as pessoas estejam dispostas a compartilhar comigo”, afirma.
Além disso, Nagüeva também atenta para mudança de pensamento da sociedade. “A cultura de posse acabou faz tempo, hoje o que temos é o resquício de uma geração passada. Agora é óbvio que nem todo mundo enxerga isso ainda”, diz.
A economia colaborativa permite fazer amigos nas diferentes plataformas. Sejam elas de compartilhamento de casa, carros, objetos etc. “Sou adepto da cultura de compartilhamento. Vivi momentos e conheci lugares que jamais conheceria em nenhum outro serviço ou método tradicional”, finaliza Nagüeva.
Sobre o Fleety – O Fleety é a primeira empresa de compartilhamentos de veículos da América Latina. O projeto está em curso desde setembro de 2014 na capital paranaense. Em fevereiro de 2015, os serviços chegaram a São Paulo e a startup foi uma das quatro empresas escolhidas para o segundo ciclo de aceleração da Abril Plug and Play, aceleradora de startups criada pelo Grupo Abril em parceria com a norte-americana Plug and Play Tech Center. Atualmente, são mais de oito mil usuários e mais de 300 veículos cadastrados em todo o país. Para saber mais sobre como utilizar o Fleety, acesse o site:www.fleety.com.br.  
 <marina@brigadeirocomunicacao.com.br>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.