Colégio Sion oferece atividades para estimular a alimentação saudável

Os dados sobre obesidade e má alimentação na infância são
alarmantes. A Organização Mundial de Saúde estima que em 2025 a população de
crianças acima do peso chegue a 75 milhões. No Brasil, uma em cada três
crianças está obesa. As consequências vão desde o desenvolvimento de diabetes,
passando por distúrbios do sono, doenças cardiovasculares e até câncer.
No dia 16 de outubro, data em que
se comemora o Dia Mundial da Alimentação, o colégio Sion promove uma série de
atividades com o objetivo de conscientizar as crianças sobre escolhas bem
feitas na hora de se alimentar. A nutricionista Elisangela Cembrani conta que
para os alunos do ensino fundamental será montado um mural que mostra a
quantidade de açúcar nos alimentos. “A ideia é explicar para as
crianças como o consumo excessivo contribui para a obesidade infantil. Já
para os alunos da educação infantil programei a leitura do livro A família Urso
comendo bobagens demais”, conta Elisangela, que estará a disposição das
crianças ao longo do dia para passar instruções e tirar dúvidas sobre
alimentação. Outra atividade programada será a demonstração prática do que o
sobrepeso acarreta no corpo da criança. “Vamos colocar pesos de academia no
corpinho deles para que possa sentir como as atividades ficam mais difíceis
quando carregamos peso a mais”, acrescenta Elisangela. Para ela, a escola tem
um importante papel na informação e na formação de pessoas que se alimentam de
forma saudável.
A proposta é oferecer atividades
periódicas de educação nutricional para alunos de todas as faixas etárias,
professores, funcionários e, inclusive, para os pais. “Também entendo ser
fundamental oferecer alimentos saudáveis na cantina e refeitório e estimular
uma rotina alimentar saudável para as crianças que permanecem do período
integral. Outra proposta, já desenvolvida no colégio, é orientar os pais na
montagem da lancheira”, completa a nutricionista.
Alimentação hoje

O fato é hoje em dia as crianças
tem consumido uma grande quantidade de produtos industrializados. Na grande maioria
das opções estes alimentos não possuem um aporte nutricional adequado, e muitos
possuem gorduras trans, excesso de açúcar, sódio, aditivos alimentares e até
adoçante. Outro ponto de atenção é o consumo excessivo de lanches. As crianças
não comem mais vegetais, arroz, feijão, ovos, carnes magras, frutas e as
guloseimas são rotina e não exceção. “Este comportamento alimentar contribui
para o ganho de peso e a ocorrências de alergias, distúrbios comportamentais,
dislipidemias, crescimento inadequado, gastrite, obstipação intestinal entre
outros”, afirma Elisangela.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.