Cuidar da beleza é essencial para as mulheres que lutam contra o câncer

Enfrentar uma situação difícil, como um tratamento de câncer, pode ser encarada de várias formas. Segundo a psicóloga do Hospital Erasto Gaertner, Fernanda Voigt Miranda, o jeito que cada paciente lida com a doença é determinante para a recuperação. “A forma de agir com a situação está relacionada a uma série de fatores, como características da personalidade, recursos internos de enfrentamento, vivências anteriores de câncer na família e rede de apoio disponível”, explica. 


De acordo com a psicóloga, o processo de adoecimento e tratamento do câncer podem acarretar limitações físicas, sociais, conjugais e laborais, bem como alterações na imagem corporal – algumas temporárias, como a perda do cabelo durante o tratamento quimioterápico (quando necessário), e outras permanentes, decorrentes de cirurgias. “Muitas vezes, o adoecimento e o tratamento do câncer repercutem de maneira negativa na autoestima, favorecendo quadros depressivos, o que dificulta a adesão ao tratamento e diminui a qualidade de vida”, afirma.


Por isso, atividades de autocuidado, como ir ao salão de beleza ou praticar exercícios físicos, contribuem para a recuperação e bem estar das mulheres. “Ao realizar essas atividades, a paciente está cuidando não somente da aparência e da estética, mas também está se envolvendo em atividades sociais, nas quais é possível conversar, fazer amizades e trocar ideias”, destaca. Além disso, as atividades despertam os estímulos sensoriais, que podem ser prazerosos e relaxantes.


Para o médico especialista em cancerologia e mastologista e chefe do Serviço de Ginecologia e Mama da Liga Paranaense de Combate ao Câncer do Hospital Erasto Gaertner, Sergio Bruno Hatschbach, o cuidado com a aparência é fundamental. “A beleza representa o caminho para a autoestima e é essencial para a superação”, reforça.


Para Maria Aparecida Gomes, enfrentar o câncer de mama, que foi diagnosticado por meio do exame de rotina, foi o início de uma luta maior. “Não pode se desesperar, porque tudo tem solução”, explica. O tratamento, que incluiu a mastectomia, quimioterapia e radioterapia, foi encarado de forma positiva. “Não chorei quando perdi o cabelo, porque só queria ficar bem”, afirma. A paciente, que foi liberada pelo setor de oncologia do Hospital Erasto Gaertner, foi sorteada para uma “tarde da beleza” no Lady&Lord Centro de Formação de Profissionais da Beleza.


A ação, que acontece desde 2013, é uma parceria entre o salão e o hospital e tem como objetivo oferecer serviços de beleza as mulheres e, assim, contribuir com recuperação e a autoestima delas. A ação acontecerá novamente nesta sexta-feira (16) e contemplará de três a cinco pacientes.

centralpress@presskit.com.br

(Créditos: Bruna Zembuski/Central Press)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.