CURITIBIM já tem os dez artistas selecionados para a mostra de música infantil

Os dez artistas que participarão da Mostra CURITIBIM já foram selecionados. São compositores ou intérpretes de diferentes regiões do Brasil, como Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Bahia. A iniciativa cultural é inédita e ocorrerá em Curitiba, no dia 1º de novembro, no teatro Guairinha. Idealizada pela Parabolé Educação e Cultura, com patrocínio da Mondelēz Brasil, a mostra tem como objetivo revelar e impulsionar as carreiras de intérpretes e compositores da canção infantil.
Os artistas foram indicados pelos curadores Milton Karam, Carlos Todeschini e Rosy Greca. Segundo Karam, a proposta do evento abre uma nova janela no panorama musical brasileiro, dando oportunidade tanto para os artistas que ainda não tiveram espaço para a divulgação de seus trabalhos como também para os pesquisadores deste universo infantil que passam a contar com mais esta referência. “CURITIBIM é uma mostra de canções e artistas que dedicam a sua criatividade e talento para o entretenimento das crianças. Essa forma de comunicação se traduz em múltiplas possibilidades que vão desde os temas das canções, os instrumentos utilizados no arranjo musical até os adereços e figurinos que dão suporte à interpretação. Tudo isto buscando uma interação capaz de prender a atenção das crianças, possibilitando a elas, ao mesmo tempo, se divertirem com o que estão presenciando como também pensarem e discutirem sobre o que estão ouvindo”, afirma Karam, que é compositor, autor de livros e dirige o Coral Brasileirinho há 22 anos.
As apresentações serão gravadas e darão origem a vídeos disponibilizados no site do CURITIBIM, bem como o perfil de cada selecionado, com possibilidade de inserção de fotos, composições e demais conteúdos. “A música infantil deste século contribui com a formação de um público mais preparado para o consumo de arte e dialoga com uma nova concepção de infância, que considera a criança como sujeito de direitos, que não apenas consome cultura, mas também ajuda a produzi-la. Ela não é apenas objeto de deleite dos pequeninos. Os adultos se identificam com as letras e com as músicas e, cada vez mais, selecionam os produtos que apresentam aos seus filhos. Compor para crianças, muitas vezes, significa também compor para pais e professores”, explica Nélio Spréa, diretor da Parabolé e coordenador do CURITIBIM. 
Bate-papo sobre música infantil
Após a mostra, a organização do evento promoverá um debate entre os artistas e os curadores com o tema “A canção infantil e a criança contemporânea”. O bate-papo ocorrerá às 19h no mesmo local das apresentações. Apenas o debate será gratuito e voltado aos pais, educadores, músicos, artistas e interessados pelo tema. 

SERVIÇO:
Mostra CURITIBIM
Data: 01 de novembro de 2015
Local: Teatro Guairinha
Valor do Ingresso: R$ 30,00 inteira e R$ 15,00 meia entrada + R$ 6,00 de taxa administrativa do Disk Ingressos. Venda das entradas pelo Disk Ingressos, que abrange: bilheterias do Disk Ingressos (inclusive do teatro Guairinha) e pelo telefone (41) 3315-0808
Informações: www.curitibim.com.br

Sobre a Parabolé
A Parabolé Educação e Cultura, fundada em 2008, tem como objetivo promover arte  e cultura como elementos de transformação educacional e social. Já empreendeu mais de 50 projetos culturais, circulou por oito estados do Brasil e recebeu diversos prêmios. Entre os produtos culturais e educacionais que concebe, destacam-se espetáculos, CDs, livros, filmes, oficinas, cursos e palestras direcionados principalmente para crianças, adolescentes, pais e educadores. Todos os produtos são resultados de projetos e pesquisas que utilizam referências estéticas contemporâneas e evocam conteúdos das tradições populares. Ao intervir no cotidiano das instituições de ensino de forma criativa e estreitar o laço entre a Cultura e a Educação, a Parabolé passou a ser reconhecida pela originalidade e alcance de suas ações. Em 2012, criou a Parabolé Editora, que publica e distribui títulos literários, musicais e audiovisuais. 
Os dez artistas selecionados
Siricutico (PR) com Má Ribeiro | Siricutico e a música infantil lado B
Com linguagem própria, o grupo curitibano vai do rock ao samba e atrai a atenção de pais e filhos. A sonoridade foge um pouco do que se convencionou chamar de música infantil. O quarteto agrega em suas canções gêneros musicais dançantes como soulrock progressivo, reggae, samba, entre outros – uma diversidade musical extensa e divertida. O Siricutico é formado pelos artistas Marc Olaf Thiessen (que assina a produção do disco e dos arranjos), Má Ribeiro, Isadora Flores e Marcel Cruz.
Solange Sá (SP) | Piolhos… pras cabecinhas
Idealizado pela cantora, compositora e professora de canto popular Solange Sá, o repertório transita pelo rock, samba, baião,reggae, frevo, jazz etc. Premiada pelo Rumos Itaú Cultural (edição 2010/2012), a proposta é apresentar um trabalho rico musicalmente e, ao mesmo tempo, descontraído e bem humorado, equilibrando  lirismo, senso lúdico e uma dose de deboche que cativa o público infantil e a família. A banda é formada por Alexandre Cueva, Douglas Alonso, Mario Manga, Norberto Vinhas, Solange Sá e Tuco Freire.
Gangorra (SP) com Vange Milliet
Gangorra é o projeto de música infantil dos músicos e compositores Vange Milliet e Paulo Lepetit, surgido espontaneamente a partir do convívio com os filhos Kim e Yuri e seus amigos. As músicas são de autoria do casal e tratam de temas que refletem o cotidiano, o universo e os questionamentos das crianças. Temas como os papéis dos gêneros feminino e masculino na sociedade ou a utilidade do umbigo aparecem de maneira divertida nas canções da dupla. Situações do cotidiano como pescar com os avós, brincar com cavalo-de-pau, empinar pipas, pular corda são apresentadas de forma envolvente.
Canela Fina (BA-PR) com Kamile Levek
O grupo Canela Fina foi criado em Salvador no ano de 2010 com o intuito de fazer música com e para as crianças. Atualmente é composto por Angelita Broock, Kamile Levek, Carla Suzart, Diogo Flórez e Nelson Aguiar. O objetivo é proporcionar músicas com arranjos próprios e instrumentações variadas, aperfeiçoando a percepção e apreciação musicais das crianças. Passeando por diversos estilos e com temas do universo infantil, todas as músicas do show foram compostas pelos integrantes do grupo ou amigos e inclui também canções de domínio público.
Mundaréu (PR) com Itaércio Rocha
Formado por Itaércio Rocha, Thayana Barbosa, Roseane Santos e Carlinhos Ferraz, o grupo Mundaréu tem 18 anos de existência e povoa o imaginário do público com sons, personagens, histórias e imagens, fazendo uso dos recursos culturais do povo brasileiro.
Eduardo Klebis
Eduardo trabalha com a produção de trilhas para filmes, animações e games, mas também gosta de assistir a filmes, tocar violão e brincar com todos os tipos de instrumentos. Adora viajar e conhecer outras culturas, já morou em Campinas, onde cursou a faculdade de música na Unicamp, passou um tempo na Inglaterra, onde estudou Composição na Universidade de Liverpool, e hoje mora em Ribeirão Preto. O artista coordena e faz a direção musical do Angudadá, que mistura música com poesia, a literatura com a fala, os sons com as artes, buscando ampliar o universo da música feita para crianças.
José Navarro (PR)
José Navarro é natural de Joinville-SC, compositor e instrumentista do grupo Mundico – trio de jovens artistas e alunos da Faculdade de Artes do Paraná. O grupo está em processo de gravação do seu primeiro disco, composto por canções próprias. Atualmente realiza atividades no Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba, onde atende crianças entre 0 e 14 anos com música, tanto nos quartos quanto no setor de Educação e Cultura. É educador musical no Colégio Senhora de Fátima e, no momento, está produzindo um álbum independente com canções autorais, com várias temáticas, inteiramente dedicadas às crianças.
Paulo Bi (RJ)
Paulo Bi teve seu primeiro contato com a música ainda criança, em rodas de choro. Entre os anos 1980 e 1990 se apresentou pelo Brasil e exterior, com shows no Japão, África do Sul, Suíça, Alemanha e Espanha. Atualmente, participa do Circuito de Música Infantil do Sesc Rio (Vitrolinha) com o espetáculo Banda da Floresta.
Bob Vieira (SP)
Bob Vieira é violeiro e repentista, natural de Itapetininga-SP. Iniciou na viola após o contato com violeiros conhecidos da cidade, como Dito Felício e Zé Martins e, a partir de então, mergulhou na cultura caipira. Esse envolvimento influenciou em suas composições e poesias.
Ana Cristina (MG) | CD Aquático com arranjo de Caio Gracco Guimarães
Natural de Itabira (MG), a artista é um dos destaques da cultura e da arte mineira. O personagem que conduz o mais novo CD infantil da cantora é um jacaré abandonado numa lagoa suja, que sai pelo mundo atrás de amigos e de água limpa. O trabalho conta com 14 composições inéditas e promete chamar a atenção das crianças para a questão da água.
talita@pautaeideias.com.br

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.