DENTE DO SISO: CONFIRA ALGUNS CUIDADOS NA EXTRAÇÃO

Conhecido popularmente como dente do juízo, o siso  podem causar incômodo quando começa a nascer, como dores e mordidas constantes nas laterais das bochechas. Ele  pode despontar  da adolescência, por volta dos 15 anos de idade ao início da vida adulta. A cirurgia para a retirada é feita, em geral, no consultório odontológico, com anestesia local, e dura cerca de 40 minutos.
“Após o procedimento cirúrgico, é normal ocorrer inchaço e dor por cerca de três a quatro dias. Nesse período, é fundamental evitar alimentos quentes e abrir mão das atividades físicas”, aconselha Dra. Talita Poli Biason, gerente médica da unidade MIP (medicamento isentos de prescrição) do Aché Laboratórios.
É importante lembrar: nem todo mundo precisa retirar os dentes do siso. A avaliação do dentista e  uma radiografia panorâmica da boca são, geralmente, indicadas para detectar se há problema. No entanto, estimativas apontam que raros são os casos em que os dentes nascem harmoniosamente e a retirada não é necessária. Além disso, grande parte das pessoas têm problemas, principalmente se eles ficarem cobertos por parte da gengiva, o que pode causar infecções, resultando em complicações sérias. Por isso, a extração é indicada, na maioria dos casos, como método preventivo.
Segundo Dra. Talita, cuidados maiores devem ser tomados nos primeiros sete dias após a extração do siso, porque a cirurgia estimula uma sequência de reações inflamatórias nos tecidos ao redor da área do local, inclusive com possíveis feridas que ficam expostas ao ambiente com bactérias, vírus e fungos, comuns a boca. Neste sentido, a médica elenca uma série de cuidados a serem tomados para garantir uma recuperação mais tranquila e sem transtornos, reduzindo a margem de desconforto e riscos. Vejam quais são:
1. Alimentação: Nos dias que sucedem a cirurgia, a alimentação deve ser líquida e pastosa, como sopas, purês, vitaminas e sucos. É essencial evitar comidas quentes, já que podem causar sangramento e desconforto;
2. Uso de medicação: Na maioria das vezes é necessário o uso de medicamentos para impedir que o local da extração infeccione ou inflame. Podem ser usados analgésicos, anti-inflamatórios e em alguns casos até  antibióticos, cujo tempo e tipo de medicação deve ser estabelecido pelo especialista. Um exemplo é o Flogoral (cloridrato de benzidamina), que possui propriedades anti-inflamatórias, analgésicas e anestésicas;
4. Evitar fumo e bebida alcóolica: Ambos prejudicam a cicatrização. No caso do cigarro, é recomendado suspender o seu uso após a cirurgia, de preferência, até os pontos serem retirados. Isso porque as substâncias tóxicas do cigarro interferem na cura. Já o álcool é irritativo da mucosa oral, sendo indicado evitar seu o uso até o local esteja totalmente reestabelecido; 
5. Retorno ao consultório: É importante que o paciente retorne ao consultório odontológico sete dias após a extração do siso para remover os pontos, com exceção dos pontos do tipo reabsorvíveis, cuja remoção é desnecessária.
Sobre o Flogoral
Disponível em pastilhas, spray, colutório e em creme dental, Flogoral (cloridrato de benzidamina) contém propriedades anti-inflamatórias, analgésicas e anestésicas, essenciais para o combate de processos inflamatórios e dolorosos da boca e garganta. As pastilhas podem ser encontradas nos sabores cereja, laranja, menta e limão; o spray, nos sabores cereja e menta; já o colutório, laranja e menta; enquanto o creme dental é oferecido no sabor menta.
Sobre o Aché Laboratórios 
O Aché é uma empresa 100% brasileira, com quase 50 anos de atuação no mercado farmacêutico. Conta com três complexos industriais: em Guarulhos (SP), São Paulo (SP) e Anápolis (GO). São mais de quatro mil colaboradores e uma das maiores forças de geração de demanda e de vendas do segmento no Brasil. Para atender às necessidades dos profissionais de saúde e consumidores, o Aché oferece um portfólio diversificado com 303 marcas em 747 apresentações de medicamentos sob prescrição, genéricos e MIP (isentos de prescrição), além de atuar também nos segmentos de dermatologia e nutracêuticos. Ao todo, são 130 classes terapêuticas e mais de 20 especialidades médicas atendidas. Recentemente, com a criação da Bionovis, passou a atuar em biotecnologia. No mercado internacional, exporta para 12 países das Américas, África e Japão. O Aché foi o primeiro colocado do setor Farma e Life Sciences do prêmio Inovação Brasil 2015, realizado pelo Valor Econômico em parceria com a Strategy&. Em 2014, a companhia foi eleita a melhor empresa do setor farmacêutico pela revista Exame, na premiação Melhores & Maiores.

<rodrigo.godoi@dezoitocom.com.br>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.