Índice DMI-VivaReal aponta valorização real no preço por m² para venda em apenas onze das 30 cidades analisadas no 3° trimestre de 2015

 Porto Alegre foi a cidade com maior valorização, com
crescimento de 6,3% em comparação com o período anterior

O VivaReal, portal de
anúncios de imóveis líder no Brasil, apresenta o DMI-VivaReal, com análises referentes a indicadores do setor imobiliário no 3º
trimestre de 2015. Neste período, a amostra contemplou 30 cidades em diferentes
regiões do País e considerou mais de 3 milhões de imóveis usados disponíveis
para compra ou aluguel. Entre os mercados estudados Porto Alegre (+6,3%), Fortaleza
(+6,1%), Campinas (+4,0%), Vitória (+4,0%), Joinville (+3,6%), Vila Velha
(+3,5%), João Pessoa (+3,0%), São José dos Campos (+2,6%), Sorocaba (+2,0%),
Rio de Janeiro (+1,9%) e Osasco (+1,3%) apresentaram valorização real para venda
no período – acima ou igual ao IPCA acumulado para o terceiro trimestre de 2015
(1,33%).
O índice também teve como destaque a desvalorização do preço em algumas
capitais do país. Natal (-2,2%) e Curitiba (-1,7%) foram as duas maiores quedas
do período.  “As crises política e
econômica afetam a confiança e o poder de compra das famílias, mas como as
oscilações do  mercado imobiliário são de
longo prazo, raramente veremos quedas bruscas em um curto período”, explica
Lucas Vargas, Vice-Presidente Executivo do VivaReal.
Entre as cidades
com os maiores preços médios do m² para venda, podemos destacar Brasília
(R$8.243,00/m²), Rio de Janeiro (R$ 7.262,00/m²), São Paulo (R$ 6.917,00/m²),
Niterói (R$ 6.250,00/m²) e Recife (R$ 6.053,00/m²). A média nacional do valor
do m² para venda ficou em R$ 4.865,00/m².
Florianópolis é a capital com maior
valorização do preço por m²

No terceiro
trimestre do ano, apenas três cidades apresentaram valorização real no preço
por m² para aluguel. Em primeiro lugar ficou Florianópolis com (+6,0%) de valorização,
seguida por Fortaleza (+5,0%) e Joinville (+2,9%), todas acima do IGP-M
acumulado do período de 1,64%. Quando analisamos as cidades mais desvalorizadas,
Osasco se destacou com queda de 16,7% seguida por Natal (-10,4%), Niterói (-7,1%),
Londrina (-7,0%) e Vitória (-6,6%). “Após as mudanças recentes nas regras de
financiamento para imóveis usados pela Caixa Econômica Federal tivemos um
aumento de 32% na demanda por imóveis para aluguel. A tendência é que a oferta
e demanda se equilibrem e que os preços estabilizem no médio prazo”, comenta
Vargas.
As cinco cidades
com os maiores preços médios do m² para aluguel foram Rio de Janeiro (R$ 38,30/m²),
São Paulo (R$ 35,90/m²), Brasília (R$ 32,90/m²), Barueri (R$ 29,50/m²) e Santos
(R$ 29,10/m²). A média nacional para aluguel foi de R$ 25,64/m².

O índice
DMI-VivaReal também apontou um desalinhamento entre a oferta e a demanda por imóveis,
sendo o destaque a relação por faixa de preço. 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.