Inovação impulsiona volume comercializado pela Ambev no Brasil, que cresce 1% no terceiro trimestre, enquanto Lucro consolidado no mesmo período cresce 6%

Clima quente e
estratégias comerciais impactaram positivamente as vendas da companhia no País
O volume de vendas da Ambev no Brasil voltou a crescer no terceiro
trimestre deste ano, após a base de comparação difícil no segundo trimestre
devido à realização da Copa do Mundo de Futebol em 2014. O volume comercializado
no País chegou a 27 milhões de hectolitros, alta de 1,0% na comparação com
igual período do ano passado, impulsionada pelo clima mais quente e pelo foco
da companhia em suas plataformas comerciais. No acumulado até setembro, o
volume comercializado no País chegou a 81,7 milhões de hectolitros, o que
representa uma queda de 2,3% na comparação com igual período em 2014.
Nos primeiros nove meses do ano,
a Ambev manteve o nível recorde de investimentos do ano passado, que foi
direcionado principalmente para as inovações com intuito de atender cada vez
mais diferentes perfis de consumidores e ocasiões de consumo.  No terceiro
trimestre, a companhia lançou a Skol Ultra, cerveja com menos calorias e
carboidratos (99 Kcal em 310 ml) pensada para o consumidor que está em
constante movimento, buscando equilíbrio em uma vida ativa, sem abrir mão do
prazer de beber cerveja. No mesmo período, a companhia também trouxe ao mercado
três novas linhas da Brahma Extra – Lager, Red Lager e Weiss – oferecendo ao consumidor
novas oportunidades de harmonização das bebidas.
O foco em inovações tem se
mostrado acertado. Há um ano no mercado, a Skol Beats Senses apresenta um
crescimento acelerado e atualmente já corresponde a quase 1% do volume
comercializado pela companhia. A Ambev pretende investir ainda mais no segmento
“near beer”, como são chamadas as bebidas produzidas com base em malte, e trará
ao mercado um novo lançamento até o final deste ano.
Outra aposta é no segmento das
cervejas premium. No terceiro trimestre, a companhia relançou a marca
Adriática, cerveja centenária que volta a ser fabricada na nova cervejaria da
Ambev em Ponta Grossa (PR). Uma cerveja com grande história e identidade, a
Adriática chega para reforçar o portfólio premium no Brasil. O segmento,
liderado por marcas como Stella Artois, Budweiser, Original e Corona,
apresentou crescimento de dois dígitos entre julho e setembro, chegando a 9% do
volume total de cerveja comercializado pela Ambev no País. 
Diante do atual cenário
macroeconômico brasileiro, a Ambev também busca ampliar a oferta de embalagens
econômicas aos consumidores. A companhia aumentou a distribuição de garrafas de
vidro retornáveis nos supermercados, que hoje representam quase 20% do volume
neste canal. Já nos bares, a empresa tem reforçado a presença das garrafas
retornáveis de 1 litro, opção também mais econômica para o consumidor. Outro
destaque do trimestre nos bares é a Skol Draft. Lançada no segundo trimestre, a
marca já está presente em mais de sete mil pontos de venda no Brasil.
“Mesmo diante de um cenário
macroeconômico mais desafiador, continuamos focados naquilo está ao nosso
alcance, ou seja, seguimos investindo no Brasil e em nossas plataformas
comerciais. Vamos agora nos preparar para o verão, que é o momento mais
relevante para nos conectarmos com os nossos consumidores”, afirma o
vice-presidente Financeiro e de Relações com Investidores da companhia, Nelson
Jamel. A Ambev busca reforçar o seu relacionamento com os consumidores com a
estratégia de marketing 360º, procurando ativá-los por meios de múltiplas
experiências e em diferentes momentos de celebração e diversão, como nos
principais eventos culturais, esportivos e de música do País.
Em refrigeNANC (refrigerantes, bebidas
não-alcóolicas e não-carbonatadas), apesar da retração da indústria no terceiro
trimestre deste ano, a Ambev conseguiu manter seu recorde histórico de
participação no mercado de refrigerantes. De julho a setembro, a média de
market share em refrigerantes da companhia foi de 19,6%. Além disso, no período
o energético Fusion consolidou-se como a terceira marca mais consumida da
bebida no Brasil, sendo que em algumas regiões já é a segunda marca preferida
dos consumidores.
Resultados
3º Trimestre 2015 X 3º Trimestre 2014
Ambev consolidado
No terceiro trimestre de 2015, o
EBITDA normalizado da Ambev totalizou R$ 4,9 bilhões, o que representa
crescimento orgânico de 11,7% frente ao mesmo período do ano anterior. A
receita líquida da companhia avançou 13,2% entre julho e setembro, somando R$
10,7 bilhões. Já o lucro líquido consolidado da companhia foi de R$ 3 bilhões
no período, aumento de 6,1%.
O volume total de vendas da Ambev
no terceiro trimestre alcançou 39,9 milhões de hectolitros, ligeira alta de
0,2% na comparação anual.
Ambev Brasil
Considerando apenas as operações
da Ambev no Brasil, o EBITDA ajustado da companhia apresentou um crescimento
orgânico de 9,8% no terceiro trimestre deste ano ante igual período de 2014,
chegando a R$ 2,9 bilhões. A receita líquida no País totalizou R$ 5,8 bilhões,
um aumento de 10,5% na mesma base de comparação.
O volume total de vendas da Ambev
no Brasil alcançou 27 milhões de hectolitros no terceiro trimestre, o que
representa alta de 1,0% na comparação com o terceiro trimestre de 2014. Desse
total, foram comercializados 20,3 milhões de hectolitros de cerveja entre julho
e setembro, alta de 3,5%. Já a venda de refrigeNANC (refrigerantes, bebidas
não-alcóolicas e não-carbonatadas) teve queda de 5,9%, para 6,7 milhões de
hectolitros no trimestre.
Investimentos
Os investimentos da Ambev estão
em linha com o montante investido no ano passado. De janeiro a setembro, a
companhia investiu R$ 3,2 bilhões, sendo R$ 2,2 bilhões apenas no Brasil.
As
demonstrações completas dos resultados financeiros da Ambev do segundo
trimestre de 2015 estão disponíveis no site: 
www.ambev.com.br/investidores

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.