Jon “Maddog” Hall anuncia fabricação de computadores de baixo custo no Brasil

O diretor executivo da Linux International, Jon "Maddog" Hall, anunciou nesta quarta-feira (14), em Foz do Iguaçu (PR), um acordo para produção de computadores de baixo custo no Brasil, por meio de uma parceria entre o Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológico (LSI-TEC) – associação sem fins lucrativos – e a comunidade LeMaker, sediada na China. A LeMaker é responsável pela produção do Banana Pi, uma referência mundial em microcomputadores de baixo custo.

O anúncio foi feito no primeiro dia da 12ª Conferência Latino-Americana de Software Livre (Latinoware 2015), que segue até sexta-feira (16), no Parque Tecnológico Itaipu (PTI). A palestra de “Maddog”, na manhã desta quarta-feira, no Espaço Brasil, antecipou a abertura oficial, marcada para as 14h.

"Esses computadores serão opensource (código aberto), o que permitirá que qualquer um projete sua placa como quiser, e ainda USB 3.0. A previsão é que custem entre US$ 40 e US$ 45 aqui no Brasil", destacou, sem precisar uma data para o início da produção dos equipamentos. Segundo ele, as primeiras 20 mil placas devem ser comercializadas a preço de custo para organizações sem fins lucrativos, como universidades e laboratórios de pesquisa.

Ainda segundo "Maddog", com a fabricação dos computadores de baixo custo, uma nova cadeia de produção pode ser construída no País. "Essas empresas poderão contratar mais brasileiros e, dessa forma, o dinheiro ficará no Brasil, em vez de ser mandado para o exterior", completou.

Trajetória profissional

Na palestra, "Maddog" comparou a própria carreira profissional a um grand slam no beisebol (uma grande jogada no esporte), dividindo a sua atuação em três bases: na primeira, a criação do Instituto Profissional Linux (responsável pela emissão da certificação LPI, atribuída a administradores de sistema de todo o mundo); na segunda, o Projeto Cauã, que une hardware, rede e empreendedorismo; a terceira base corresponde à fabricação de computadores baratos. "Antigamente, os computadores custavam U$ 2,5 milhões. Hoje temos centenas de computadores de baixo custo", destacou.

O diretor da Linux também falou sobre a sua estreita relação com o Brasil, construída desde as primeiras visitas ao País, em 1996. Recentemente, ele teve a ideia de unir dois trabalhos de inclusão digital. Em São Paulo, moradores das favelas estão aprendendo programação; no Rio de Janeiro, a ideia é levar Wi-Fi para favelas cariocas. "Para isso, procuramos novos mentores, como grupos de pesquisa e universidades interessadas", explicou.

Imprensa Itaipu

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Talvez você se interesse por estes artigos

José Pio Martins* Segundo dados do IBGE, o número de brasileiros abaixo da linha da pobreza (os que vivem com até US$ 5,50 por dia,...
Fechar Menu