Mercado de seguros mantém previsão de crescimento e novos produtos devem priorizar a proteção da renda

O mercado de seguros está na contramão do movimento da economia, com perspectiva de crescimento e de lançamento de produtos. Segundo a Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg), o setor mantém a projeção de crescimento de 12% para esse ano, mesmo considerando os efeitos mais recentes da crise econômica nacional.
 
Para o diretor da Senzala Corretora de Seguros, André Coutinho, a previsão é de que os novos seguros estejam alinhados ao atual cenário nacional e a aposta é que se voltem para a proteção da renda. “Nesse sentido, as soluções devem se concentrar na área de infraestrutura, aposentadoria e proteção dos rendimentos contra adversidades. Existe a expectativa de que algumas dessas novas soluções saiam do papel ainda esse ano”, comenta.
 
Coutinho diz que uma das novidades em seguro refere-se aos fundos de pensão. A proposta é incorporar uma cobertura que equalize a relação entre os recursos acumulados pelo beneficiário ao longo do tempo e a sua longevidade, evitando que estes sejam inferiores ao seu tempo de vida. Outra alteração em estudo é a ampliação no percentual do seguro de garantia para obras públicas. “A finalidade é assegurar que as mesmas sejam concluídas conforme o previsto em contrato. Essa apólice representa, hoje, apenas 5% do valor total do projeto e a intenção é aumentar para 30%”, explica.
<contato@memilia.com>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.