Últimas

O pilates também pode ser um ótimo aliado no combate ao câncer de mama

O câncer de mama provoca várias alterações no corpo e também no psicológico da mulher. O tratamento contra essa patologia pode provocar sensações pontuais de fadiga muscular, perda da força muscular, que é conhecido como astenia.

Esses problemas associados, a depressão, que é comum em pessoas acometidas pelo câncer, podem ser amenizadas por meio da atividade física e entre elas o Pilates, que é sem dúvida considerada uma atividade de grande indicação, pois é uma pratica de baixo impacto e com uma capacidade de adaptação para as necessidades e habilidades das pessoas que sofrem com câncer de mama muito grande.

Hoje o grande foco dos estudos é descobrir se o treinamento físico, seja com o método pilates, ou com qualquer outra forma de terapia física, influência nos efeitos anticancerígenos da terapia citotóxica convencional.

É sabido que a interação potencial entre o exercício e a eficácia da quimioterapia é biologicamente plausível, segundo a fisioterapeuta PHD em pilates Eliane Coutinho.

O pilates, considerado uma atividade muito estimulante e de baixo impacto, ajuda a diminuir o nível de stress, pois trabalha a conexão entre mente e corpo, essencial para diminuir o nível de depressão desses pacientes com diagnóstico de câncer de mama. Seus exercícios provocam uma redução significativa nas taxas de câncer, especialmente de colo e mama. As possíveis explicações devem estar na redução nas reservas de gordura, aumento do gasto energético compensando a dieta rica em gordura.
Os exercícios também ajudam a equilibrar as alterações relacionadas aos níveis de hormônios sexuais, função imune, insulina, fatores de crescimento semelhante a insulina, geração de radicais livres e os efeitos diretos sobre as células tumorais. Dessa forma, é nítido o efeito benéfico do método Pilates sobre a qualidade de vida sobre mulheres com câncer de mama.

O pilates influência diretamente na postura do tronco, uma vez que os exercícios trabalham a organização escapulo-torácica, melhorando a dinâmica dos movimentos do ombro e evitando dores na região das mamas.O pilates também ajuda a melhorar os movimentos de todo o membro superior, e da coluna-torácica.

É necessário entender que o método pilates apresenta vários exercícios excêntricos. Esses exercícios deveram ser prevenidos por que são exercícios com maior capacidade de micro-lesão muscular, sendo priorizado os exercícios de alongamento e de contração isométrica e concêntrica.

Além de tratar das alterações musculares e articulares, o método também trabalha o componente psicológico da mulher. O tratamento com o pilates, está indicado para todas as mulheres com câncer de mama, pois aumenta a autoestima, melhora as dores articulares na área dos ombros, melhorar a mobilidade escápula-torácica, contudo, deverá ser suspenso durante a quimioterapia ou radioterapia, ou com concentração de leucócitos abaixo do desejado. A atividade também deve ser sempre acompanhada pelo oncologista que poderá suspender ou indicar a qualquer momento a prática do método.
Para saber mais consulte o site da Fisiociência®

Escreva um comentário

Seu e-mail não será divulgado


*