Preço médio no m² desvaloriza em Curitiba no 3° trimestre, aponta Índice DMI-VivaReal

Análise também mostrou desalinhamento entre oferta e demanda
por imóveis na capital

O
VivaReal, portal de anúncios de imóveis líder no Brasil, apresenta o DMI-VivaReal, com análises
referentes a indicadores do setor imobiliário no 3º trimestre de 2015. Em Curitiba
ocorreu desvalorização no preço médio do m² para venda (-1,7%) e aluguel (-2,1%).
O DMI (Dados do Mercado Imobiliário) é o levantamento realizado pelo portal com
sua base de mais de 3 milhões de classificados. Neste trimestre, a amostra
contemplou 30 cidades em diferentes regiões do País.
Na capital paranaense, o DMI-VivaReal indicou Campo
de Santana (+8,6%) como o bairro mais valorizado da capital, seguido por Rebouças
(+6,5%), Juvevê (+5,7%), Centro Cívico (+5,2%) e Cabral (+4,6%). Entre os
bairros mais caros estão Juvevê (R$ 7.108/m²), Batel (R$ 6.667/m²), Alto da
Glória (6.541/m²), Cabral (R$ 6.264/m²) e Champagnat (R$ 6.250/m²). “As crises
política e econômica afetam a confiança e o poder de compra das famílias, mas
como as oscilações do mercado imobiliário são de longo prazo, raramente veremos
quedas bruscas em um curto período”, explica Lucas Vargas, Vice-Presidente
Executivo do VivaReal.
No terceiro trimestre do ano, os bairros mais
procurados para compra de imóveis foram Água Verde, Portão, Cidade Industrial, Campo
Comprido e Centro. Quando falamos em aluguel, Centro, Água Verde, Portão,
Bigorrilho e Bairro Alto foram os bairros preferidos pelos consumidores.
Imóvel de até R$ 350 mil é preferência entre os
Curitibanos
Ao analisar a
oferta e a demanda de imóveis para venda, o Índice DMI-VivaReal mostrou
desequilíbrio para preço. Enquanto 59% da demanda é por imóveis de até R$ 350
mil, a oferta não passa de 41%.  Segundo a análise da oferta e da demanda por número de quartos, 53% das
pessoas que procuram um imóvel preferem aqueles com três dormitórios.

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.