Representantes da Bolsa de Chicago (EUA) debatem sobre o mercado de grãos em evento no Brasil

O mercado de grãos passa por um momento de queda nos preços internacionais, após uma sequência de supersafras que foi sustentada por um crescimento na demanda importadora. Essa nova realidade do setor, cria uma nova perspectiva para os países sul-americanos e será discutida em um dos painéis do 3º Fórum de Agricultura da América do Sul (Agricultural Outlook Forum 2015), que acontece em Curitiba (PR), nos dias 12 e 13 de novembro.
Entre os participantes do painel, chamado “Grãos: um mercado em transformação”, estão Susan Sutherland, da CME Group, diretora de commodities da Bolsa de Chicago (EUA), centro de referência na formação de preço dos grãos no mundo inteiro, e Steve Cachia, diretor business development da Cerealpar, companhia com atuação global no comércio de cereais.
De acordo com Steve, as transformações exigem “olhar de um modo diferente para o mercado, até porque as mudanças não devem parar aqui”. Para o diretor da Cerealpar, fatores como a globalização e a tecnologia estão tornando esses mercados mais acessíveis a outros players. “Com tudo isso, o mercado fica cada vez mais volátil e consequentemente cada vez mais difícil para operar”, complementa.
Entretanto, segundo Steve, a situação é favorável ao bloco sul-americano. “O mundo está vivendo um momento de aumento de demanda desses produtos por países em desenvolvimento. Como são limitados na questão da produção, eles tem que importar e uma das regiões mais propícias ao crescimento dessa produção é a América do Sul. O momento é totalmente favorável para nós que temos uma vocação agrícola”, explica.
Para Giovani Ferreira, coordenador do evento e do Núcleo de Agronegócio da Gazeta do Povo, o painel também trará embasamento para que o produtor saiba se planejar para fases desfavoráveis. “Apesar do mercado internacional em baixa, o dólar está sendo um colchão de segurança, mantendo os preços valorizados aqui dentro. Entretanto, o produtor não pode apostar somente nisso. Sua produção tem que estar dentro de um planejamento que contemple riscos”, afirma.
O fórum é um promovido pelo Núcleo de Agronegócio da Gazeta do Povo e conta com o oferecimento do Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar) e a Itaipu Binacional; além de patrocínio do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e da Federação de Agricultura do Estado do Paraná (Faep); e também tem o apoio da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Fortesolo e Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP).
Inscrições:
O evento já está com as inscrições abertas para a edição deste ano, que terá como fio condutor dos debates o tema “Sociedade Urbana, Economia Rural”. Os interessados devem acessar o site oficial do fórum (agrooutlook.com.br). O pacote completo inclui entrada para os dois dias, dois almoços, um jantar e coffee breaks e custa US$ 250,00 para inscrições realizadas até o dia 08 de novembro.
Serviço
3° Fórum de Agricultura da América do Sul – Agricultural Outlook Forum 2015
Data:
 12 e 13 de novembro de 2015
Local: Museu Oscar Niemeyer – Curitiba (PR) – Brasil
Mais informações: agrooutlook.com.br 
Sobre o Fórum de Agricultura da América do Sul
O 3º Fórum de Agricultura da América do Sul (Agricultural Outlook Forum 2015) é uma realização do Núcleo de Agronegócio da Gazeta do Povo (AgroGP), plataforma de conteúdo do Grupo Paranaense de Comunicação (GRPCom), sediado em Curitiba, no Paraná, Região Sul do Brasil. Focado em soluções de mídia e comunicação para a promoção do setor, da América do Sul à América do Norte, Ásia, África e Europa, o AgroGP se apresenta como como um dos elos da cadeia produtiva do agronegócio, essencial ao desenvolvimento sustentável e ordenado da atividade. 
O projeto piloto do Fórum foi realizado em 2013, fruto de uma aliança estratégica entre o AgroGP e o Conselho Agropecuário do Sul (CAS) – conselho de ministros que reúne os ministérios da Agricultura de seis países: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai. A 1ª edição do evento levou para Foz do Iguaçu mais de 500 participantes e 30 palestrantes de dez países para discutir os desafios e oportunidade do novo ciclo de expansão da produção mundial de grãos.
Em 2014, a partir do tema “Inovação e Sustentabilidade no Campo”, os debates passaram a discutir a América do Sul enquanto bloco, apontando caminhos para manter a competitividade em um mundo globalizado e fortalecer o posicionamento da região como o grande player do lado da oferta.
<pauta@centrodecomunicacao.com.br>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.