UNIVERSIDADE TÉCNICA DE MUNIQUE (TUM) CHANCELA CURSO BRASILEIRO PARA QUEM QUER TRABALHAR COMO CERVEJEIRO PROFISSIONAL

Até cinco anos atrás, para alguém que morasse no Brasil se tornar um cervejeiro profissional ou um sommelier de cervejas era necessário sair do país. Nenhuma instituição de ensino oferecia esse tipo de formação em território nacional. E o destino mais cotado para os que quisessem se aventurar pelas artes cervejeiras era a Alemanha, que além de uma grande tradição abriga em suas terras a Technische Universität München (TUM) – Universidade Técnica de Munique –, uma das mais tradicionais entidades de ensino do mundo, 54° lugar no ranking mundial de universidades na lista QS Quacquarelli Symonds University Rankings.
A boa nova para os brasileiros que têm interesse em trabalhar no mercado cervejeiro, mas não têm a possibilidade e nem a intenção de sair do país, é que hoje, devido à nova demanda que surgiu com o destaque conquistado pelas cervejas artesanais entre os hábitos de consumo dos brasileiros nos últimos anos, o curso de tecnologia cervejeira, chancelado pela Universidade Técnica de Munique, já é ministrado no Brasil, pelo Instituto da Cerveja – a maior escola cervejeira da América Latina. Compondo o corpo docente estão grandes profissionais que trabalham em diversas cervejarias de grande, médio e pequeno porte, além de professores da Alemanha.
“Durante o curso, além de ensinar toda a base teórica, também visitamos cervejarias e ainda uma malteria para construímos aulas bem embasadas. A formação capacita os participantes a iniciarem carreira como cervejeiros profissionais em cervejarias de pequeno, médio e de grande porte e tem como objetivo oferecer ao aluno uma visão real e abrangente da profissão, ensinando os principais conceitos de todo processo produtivo desde a malteação até o envasamento, passando por importantes aspectos de qualidade fisico-química, microbiológica e sensorial. É um verdadeiro aperfeiçoamento técnico, com teoria e prática”, afirma Alfredo Ferreira, mestre cervejeiro e co-fundador e professor do Instituto da Cerveja Brasil.
Ao final do curso o aluno estará apto a: auxiliar no desenvolvimento de receitas de cervejas de diferentes estilos; influenciar em parâmetros de processos e na escolha de matérias-primas, melhorando a qualidade dos produtos; otimizar rendimentos dos processos fabris; indicar melhores práticas de higienização nas cervejarias; fazer avaliação sensorial; identificar os principais defeitos sensoriais e propor avanços e melhorias; conhecer parâmetros e especificações de qualidade de insumos, processo e produto final. A prova final exige que o aluna faça cerveja em uma micro cervejaria.
O Dr. PhD Martin Zarnkow, chefe do Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento  da Universidade de Weihenstephan, é um dos professores nas aulas ministradas pelo Instituto da Cerveja Brasil.  
<marinalapietra@onix-press.com>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.