Últimas

Diagnóstico e tratamento precoces dobram as chances de cura do câncer infantojuvenil

Diferentemente do câncer em adultos, em crianças e adolescentes a doença é mais agressiva, se desenvolve rapidamente e não há prevenção. Mas a boa notícia é que o diagnóstico e tratamento precoces podem melhorar muito as chances de cura. Em torno de 70% das crianças acometidas pelo câncer conseguem ter uma vida normal quando o tratamento é realizado na fase inicial da doença.

“O câncer se manifesta de forma diferente nos adultos e em crianças e adolescentes. Os meninos e meninas respondem de forma melhor ao tratamento com quimioterapia. Por isso é importante que o diagnóstico seja realizado o quanto antes e a doença não seja descoberta tardiamente, quando o câncer já na fase de metástase”, alerta a médica responsável pelo Serviço de Oncologia e Hematologia do Hospital Pequeno Príncipe, Flora Mitie Watanabe.

O câncer é a principal causa de morte por doença em crianças e adolescentes, por isso é considerado uma emergência. No Brasil, são 12 mil novos casos por ano, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA). A leucemia é o tipo mais comum no público infantojuvenil, seguido de tumores do sistema nervoso central e linfomas.

Neste mês, marcado pela luta contra o câncer, o Hospital Pequeno Príncipe sensibiliza a população sobre os principais sintomas da doença no público infatojuvenil. Alguns sinais podem ser confundidos com doenças comuns da infância. Por isso, a orientação é procurar um pediatra ou um serviço de saúde se a criança ou o adolescente apresentar alguns sintomas.

Sinais de alerta

– Dores nos ossos, principalmente nas pernas, com ou sem inchaço.

– Palidez inexplicada.

– Fraqueza constante.

– Aumento progressivo dos gânglios linfáticos.

– Manchas roxas e caroços pelo corpo, não relacionados a traumas.

– Dores de cabeça, acompanhadas de vômitos.

– Perda de peso.

– Aumento/inchaço na barriga.

– Febre persistente ou suores constantes e prolongados.

– Distúrbios visuais e reflexos nos olhos.

 

Pequeno Príncipe: referência em tratamento oncopediátrico

Desde 1968, oferece tratamento a pacientes com câncer, de 0 a 18 anos. O Serviço de Oncologia e Hematologia é considerado o maior em pediatria no Paraná, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde. Também é referência em tumores sólidos e doenças hematológicas malignas. Em paralelo, a unidade de Transplante de Medula Óssea (TMO) tem se consolidado como um importante centro de atendimento no Brasil.

Pacientes de todo o País são encaminhados para o Pequeno Príncipe para o diagnóstico, tratamento e investigação na área científica contra o câncer e outras doenças de sangue. Cerca de 80% do atendimento é feito pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Em média, a são registrados 120 novos casos por ano somente na instituição. <camila.mendes@hpp.org.br>

Tratamento em números/ano

Mais de 8 mil atendimentos ambulatoriais

Cerca de 1.000 internações

3.400 sessões de quimioterapia

18 transplantes de medula óssea (todos pelo SUS)

unnamed (1)

Escreva um comentário

Seu e-mail não será divulgado


*


Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com