ONG lança campanha para chamar a atenção sobre o câncer de pele

A ONG Melanoma Brasil está lançando a campanha “À Flor da Pele” para chamar a atenção da população sobre os riscos de um tipo de câncer pouco divulgado, mas muito perigoso, o melanoma. A iniciativa acontece às vésperas do Dia Nacional do Combate ao Câncer de Pele, instituído em 7 de novembro pela Sociedade Brasileira de Dermatologia.
A campanha prevê a distribuição de cartilhas e a divulgação de informações sobre prevenção e diagnóstico do câncer de pele, tipo melanoma, na fanpage Melanoma Brasil.
O nome da campanha foi escolhido com base nas características do melanoma, que se assemelham a uma flor, tanto pela assimetria, como pela coloração e as bordas irregulares, entre outras. Com a campanha, a ONG quer divulgar quais são os sinais que podem sugerir a doença e quais as providências que devem ser adotadas.
A ONG é uma derivação da fanpage que leva o mesmo nome. Com apenas um ano de criação, a página Melanoma Brasil –https://www.facebook.com/melanomabrasil/ já tem mais de 2 mil curtidas e alcance médio de 10 mil pessoas por postagem.
A página foi criada pela relações públicas Rebecca Montanheiro. Ela usou sua própria experiência de câncer de pele para criar uma fanpage com informações sobre a doença.
A história se parece com tantas outras. Muitas vezes o diagnóstico difícil torna-se mais tarde inspiração e força para ajudar outras pessoas a buscar o caminho da prevenção e da cura. A página Melanoma Brasil é um exemplo disso.
“São mais de 100 mil novos casos por ano no País e a maioria das pessoas não se preocupa muito com isso por falta de informação ou por não ter conhecimento de que o câncer de pele pode matar, principalmente o melanoma”, explica Rebecca.
Para a divulgação do trabalho, a relações públicas conta com o apoio da vice-presidente da ONG, Juliana Moro. Ela também teve diagnóstico de melanoma e criou uma página pessoal, “Um melanoma em minha vida”, que funciona como uma espécie de diário sobre sua convivência com a doença.
Na fanpage, além do compartilhamento de informações, apoio, divulgação e conscientização sobre o câncer de pele tipo melanoma, há postagens frequentes sobre os mais diversos temas como prevenção, a importância da proteção solar, diagnóstico, tratamentos e notícias recentes sobre a doença.
Também foi criado um grupo para pacientes e familiares chamado Grupo Melanoma Brasil, hoje já com mais de 70 integrantes. “Esse número mostra a crescente busca das pessoas diagnosticadas por ajuda e apoio”, lembra a criadora da fanpage. No espaço, as pessoas interagem com troca de experiências e apoio.
O próximo passo é a criação de um site, que já está sendo desenvolvido. Rebecca adianta que está trabalhando com alguns projetos para levar informação de qualidade a todos os cantos do País com a ajuda de voluntários, que recebem os folhetos do Melanoma Brasil e multiplicam essas informações em todo o Brasil.
“Há números recentes do INCA que apontam para um crescimento do número de casos de câncer de pele no Brasil. Queremos levar ao conhecimento de todos o quão séria é a doença e como devemos estar atentos a qualquer sinal em nossa pele”, diz Rebecca, que trabalha na usina de Itaipu. A empresa apoia várias ações de prevenção e combate ao câncer, entre elas a ação do Melanoma Brasil.
A Itaipu
Com 20 unidades geradoras e 14.000 MW de potência instalada, a Itaipu Binacional é líder mundial na geração de energia limpa e renovável, tendo produzido, desde 1984, mais de 2,2 bilhões de MWh. A hidrelétrica é responsável pelo abastecimento de cerca de 17% de toda a energia consumida pelo Brasil e de 75% do Paraguai. Desde 2003, Itaipu tem como missão empresarial “gerar energia elétrica de qualidade, com responsabilidade social e ambiental, impulsionando o desenvolvimento econômico, turístico e tecnológico, sustentável, no Brasil e no Paraguai”. A empresa tem ainda como visão de futuro chegar a 2020 como “a geradora de energia limpa e renovável com o melhor desempenho operativo e as melhores práticas de sustentabilidade do mundo, impulsionando o desenvolvimento sustentável e a integração regional”.

Imprensa Itaipu

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.