TCP apresenta para empresários solução de transporte de fertilizantes por contêineres

A TCP – empresa que administra o Terminal de Contêineres de Paranaguá, reuniu, no dia 26 de outubro, empresários que atuam na importação de fertilizantes agrícolas para a apresentação de um modelo de transporte desses materiais através de contêineres em substituição ao formato tradicional utilizado, por navios graneleiros. Na oportunidade os presentes também conheceram a estrutura e as operações do Terminal, que conta com alta disponibilidade para a atracação de navios em seus três berços.
De acordo com Juarez Moraes e Silva, diretor Superintendente e Comercial da TCP, o uso de contêineres em produtos da cadeia de valor do agronegócio é uma tendência mundial. “Assim como com a soja, que cada vez mais vem sendo conteinerizada para aproveitar os fretes de retorno, o mesmo movimento vem acontecendo no setor de fertilizantes”, destaca ele, acrescentando que entre os benefícios estão a maior previsibilidade de custos e de tempo de transporte.
O transporte de fertilizantes via navios graneleiros apresenta uma série de desafios que impactam a operação e os custos para importadores e exportadores. Além de estar sujeito às condições climáticas, este transporte não permite o rastreamento da carga e gera perdas no decorrer do processo, em razão de série de movimentações realizadas desde que a carga sai do exportador até chegar ao importador. “Com o uso de contêineres, o empresário não é afetado pelo clima, sua carga é 100% rastreada e as perdas são praticamente eliminadas, uma vez que o produto entra no contêiner e só sai dele quando chega ao destino final”, , afirma Moraes e Silva, acrescentando que, além disto, não há esperas para atracação, que em momentos de pico ultrapassa semanas, no caso dos navios graneleiros.
No caso dos fertilizantes, por exemplo, os contêineres que saem de Paranaguá com carnes congeladas (em especial frango e bovinos) com destino à Rússia – um dos maiores produtores mundiais de fertilizantes –, podem retornar com esses produtos voltados ao setor agrícola. “Com o frete de retorno, os contêineres, que voltariam vazios ao Brasil, são utilizados para o transporte destes produtos, garantindo ainda mais economia aos importadores”.
Atualmente pouco mais de 1% do total de fertilizantes importados pelo Brasil utiliza a solução por contêineres, o que demonstra um enorme potencial de crescimento. “A TCP já responde por 59% deste volume, o que representa 8 mil contêineres por ano. Nossa expectativa é chegar a 15 mil contêineres até 2017’, adianta o diretor da empresa.
Sobre a TCP
A TCP é a empresa que administra o Terminal de Contêineres de Paranaguá – segundo maior terminal de contêineres da América do Sul, e a empresa de serviços logísticos TCP Log.
Após receber investimentos de R$ 365 milhões, um dos maiores aportes privados do setor portuário brasileiro nos últimos anos, a TCP atualmente tem capacidade para movimentar 1,5 milhão de TEUs/ano, conta com 320 mil m² de área de armazenagem e oferece três berços de atracação, com extensão total de 879 metros, além de dolfins exclusivos para operação de navios de veículos.
A atuação do terminal é complementada pela TCP Log, que oferece serviços de integração da cadeia logística; como armazenagem, estrutura para carregamento e descarregamento de contêineres, pátio para contêineres e transporte do modal rodo ferroviário ao terminal em Paranaguá.
<ana.cunha@medialink.com.br>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.