Além de ser tempo de descanso e relaxamento, o verão também é a estação em que o cuidado com a pele deve ser intensificado ainda mais. Nos últimos anos, tem começado até uma campanha temática mensal, aos moldes do Outubro Rosa e Novembro Azul: é o Dezembro Laranja, criado para conscientizar a sociedade sobre a necessidade de se proteger contra a exposição solar na medida certa.

A dermatologista Ewalda Von RosenStahlke , cooperada da Unimed Curitiba, ressalta ainda que grávidas e mulheres em amamentação devem ter cuidado redobrado, para evitar manchas e envelhecimento precoce da pele.“Também é fundamental lembrar de hidratar a pele com bons cremes, e aumentar a ingestão de líquidos no verão, como  suco de frutas, água de coco e muita água. Para evitar o ressecamento da pele, a temperatura da água do banho deve ser fria ou morna”, recomenda.

pele verão

Alimentos podem ajudar

Alguns alimentos de cor vermelha e alaranjada ajudam na prevenção dos danos que o Sol pode causar à pele. “É o caso da cenoura, abóbora, mamão, maçã e beterraba, por conter carotenóide, substância que se deposita na pele e retém as radiações ultravioletas.Existem alguns medicamentos orais que ajudam a aumentar a tolerância ao Sol, mas ainda se faz necessário usar os filtros solares”, comenta Ewalda.

 

Atenção para micoses

“Também temos que olhar entre os dedos dos pés e outras dobras como virilhas e axilas para detectar micoses que costumam ocorrer mais intensamente neste período, tais como a Dermatofitose e a Candidíase”, ressalta a dermatologista, que acrescenta: “Outra micose comum, a Pitiríase Versicolor, é composta por pequenas manchas redondas, marrons ou vermelhas ou esbranquiçadas, conhecida como micose de praia, sol ou piscina pela sua maior incidência neste período”.

Na entrevista a seguir, a dermatologista fez uma lista das principais recomendações para o cuidado com a pele no verão.

 

Na preparação para viagens para praia e regiões de clima quente, quais cuidados é preciso ter com a pele? 

Evite tomar ou usar medicamentos fotossensibilizantes, leia sempre a bula e pergunte ao seu médico se a medicação interfere na exposição ao Sol. Se usar autobronzeadores, lembre-se que eles não dão proteção contra o Sol, somente pigmentam a pele.

Use roupas que permitam a transpiração, roupas claras diminuem a absorção do calor e refletem a luz, mas as escuras protegem mais contra a radiação ultravioleta. Roupas finas permitem a passagem do raio UVB, tecidos sintéticos como nylon retém somente 30% da radiação, enquanto as roupas de algodão impedem a passagem de até 90%. Hoje existem roupas que possuem FPS e protegem mais, mesmo não sendo grossas.

Vidros permitem a passagem da radiação UVA, a colocação de filme protetor nas janelas dos carros diminui a entrada. Usar óculos escuros também protege a área ao redor dos olhos.

 

Quais produtos são recomendados de acordo com cada faixa etária? 

Existem fotoprotetores específicos para crianças a partir de 6 meses de idade, não sendo recomendado antes desta idade. Os protetores solares precisam ter no mínimo FPS 15, mas, o mais recomendado é o FPS 30. Fatores maiores são indicados para peles mais sensíveis e ou mais claras, e para doenças relacionadas à exposição solar.

O uso deve ser diário, pela manhã e no almoço, mas se praticar esportes ao ar livre ou estiver na praia ou na piscina o filtro solar deve ser utilizado a cada duas horas, sendo que o produto deve ser aplicado 30 minutos antes da exposição para que se fixe à pele, em toda a área não coberta por roupa, mas se esta for muito fina, deve ser passado na pele que costuma receber maior radiação, como dorso, ombros e braços. O tempo para repassar diminui se houver transpiração excessiva ou se entrar na água.

Deve-se ter o cuidado de passar uniformemente em todas as partes expostas do corpo, isso inclui orelhas, nuca, dorso de mãos e pés. Lembre-se que chapéus e roupas são essenciais na proteção contra o Sol.

 

Quem passa o ano em regiões de pouco sol, ou tem a pele mais clara, precisa tomar cuidados extras? 

É preciso usar filtros solares com FPS mais alto.Comece a exposição ao Sol com um período menor e aumente gradativamente o tempo de permanência.

 

Quais os melhores horários para se tomar sol e quais horários evitar a exposição solar? 

Antes das 10h e depois das 16h, quando os raios UVB estão mais fracos, mas sempre com filtro solar.Lembre-se que a radiação UVB vai aumentando gradativamente e atinge seu ápice no meio do dia e depois vai diminuindo a intensidade. O UVA não sofre variação.

 

Tempo nublado, sol entre nuvens e mormaço também causam danos à pele? É preciso andar sempre com protetor solar? 

As nuvens não impedem a entrada da radiação UV, e como a sensação térmica fica menos intensa, dá a impressão de maior proteção, por isto a recomendação de usar o filtro diariamente e reaplicar conforme a necessidade. Somente nuvens muito pesadas diminuem a passagem da radiação. Muitas vezes o dia começa com chuva e termina com Sol.

 

E sobre as diferentes pigmentações de pele, o que muda?

Peles negras e morenas, apesar de apresentarem uma maior proteção natural, podem ser bastante sensíveis ao Sol, levando a ocorrência de queimaduras, manchas e até de câncer de pele. No site da Sociedade Brasileira de Dermatologia, também pode ser encontrada orientações e é possível calcular o risco de desenvolver câncer de pele. Acesse www.sbd.org.br para saber mais informações.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Talvez você se interesse por estes artigos.

O nervo ciático é responsável por controlar as articulações do quadril, joelho e tornozelo e, também, os músculos posteriores da coxa e os músculos da perna.  A lombociatalgia, mais conhecida como "dor no ciático", é um problema...
Fechar Menu