Ex-expedicionário é homenageado como o passageiro número 2 milhões

Um simpático senhor de 93 anos, piloto civil aposentado e ex-expedicionário da Força Aérea Brasileira na Segunda Guerra Mundial, foi homenageado nesta sexta-feira (18) como o passageiro de número 2 milhões do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu. Eronides João da Cruz, que estava acompanhado da filha, Silvana, sua companheira de viagens desde que perdeu a esposa, há quatro anos, vem pelo menos duas vezes por ano a Foz, onde faz passeios, pesca e revê os amigos que conquistou.

Recebido por autoridades, numa festa com música, salgados e champanhe, Eronides se emocionou. “Eu não tive uma recepção tão calorosa nem quando voltei da guerra”, comparou. “Porque daquela vez foi uma recepção a todos os que voltavam, e hoje foi só para mim”.  A homenagem ao veterano passageiro reuniu a Infraero, a Prefeitura e todo o “trade” turístico, em comemoração à nova marca estabelecida pelo aeroporto, um dos que mais crescem no Brasil, mesmo com a crise econômica.

Natural do Recife, Eronides reside sozinho em Curitiba, enquanto a filha mora no Litoral do Estado. Embora o passageiro 2 milhões tenha viajado pela Azul, “ele é um passageiro de todas as empresas aéreas que operam aqui”, disse o superintendente do Aeroporto, Eduardo Renato Ludwig.

Ele lembrou que, “na contramão da situação de outros aeroportos no Brasil”, o de Foz vai fechar 2015 com um crescimento em torno de 10%. Ludwig, como todos os que falaram na recepção a Eronides e em entrevistas à imprensa, citou a crise brasileira, apesar da qual “Foz do Iguaçu tem conseguido crescer”.

O superintendente de Comunicação Social da Itaipu, Gilmar Piolla, lembrou que o destino comemora dois recordes ao mesmo tempo: no Parque Nacional do Iguaçu, superou a visitação de 2014; no aeroporto, atingiu uma nova marca. “Numa época de crise, isso é motivo de satisfação e mostra a força da Gestão Integrada do Turismo e o potencial dos nossos atrativos turísticos”.

O prefeito Reni Pereira também se referiu aos recordes, incluindo também Itaipu, e disse que a cidade, além do mais, ainda terá um novo atrativo, a partir do dia 22 – o Complexo Turístico das Américas, no Marco das 3 Fronteiras. Segundo ele, o atrativo “terá até mais visitantes que as Cataratas”. Ele anunciou, ainda, uma nova concessão, que também poderá atrair muitos visitantes, além dos moradores.

O secretário municipal de Turismo, Paulo Tremarin, explicou que o prefeito se referia à área de 9.500 metros quadrados na Avenida das Cataratas, hoje utilizada pela secretaria, que poderá receber um aquário ou um museu de automóvel, dependendo da empresa que obtiver a concessão.

Tremarin também avaliou o crescimento da procura por Foz do Iguaçu, atribuindo isso, principalmente, “ao custo benefício do destino”. Com a alta do dólar, menos brasileiros viajam ao exterior e procuram destinos no Brasil. Foz, segundo ele, oferece uma das hospedagens mais baratas, com qualidade equivalente ou superior a outras cidades turísticas; e tem uma gastronomia boa e também de baixo preço. Sem contar que, cada vez mais, a cidade se firma como destino de eventos, além de familiar.

Tremarin deu ainda uma boa notícia: aumentou o interesse de europeus em conhecer Foz do Iguaçu. Pesquisa feita em sites daquele continente mostra que a cidade poderá receber 34% mais visitantes da Europa, em 2016.

O presidente do Comtur, Licério Santos, disse que a imprensa de todo o Brasil muitas vezes pergunta qual é o segredo de Foz do Iguaçu, que consegue crescer num momento de crise política e econômica. Para ele, a resposta está na atuação coesa e bem definida da Gestão Integrada do Turismo e, claro, “nas maravilhas naturais e empreendimentos que temos aqui”.

Prêmios

Quanto ao ex-expedicionário Eronides João da Cruz – na guerra, ele não foi piloto, mas técnico em aeronáutica do 1º Grupo de Aviação de Caça, como explicou -, saiu do aeroporto com sacolas de brindes e muitos ingressos para passeios. Dali mesmo ele e a filha, a médica veterinária Silvana, foram levados para um almoço na Churrascaria Rafain, onde ela comemorou a festa com uma cerveja “trincando de gelada”, como disse à mesa.

Nem ela nem o pai poderiam imaginar que, ao embarcar em Curitiba, teriam esse tratamento ao chegar em Foz do Iguaçu. Tratamento igual só terá o passageiro de número 3 milhões, segundo o superintendente do aeroporto. O que ele espera que aconteça no prazo mais rápido possível.

imprensa itaipu

Crédito: Nilton Rolin/Itaipu Binacional

Passageiro2Milhoes_Aeroporto
Passageiro2Milhoes_Aeroporto

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.