Metade dos homens não conhecem os sintomas e qualquer tipo de prevenção ou tratamento urinário

Os sintomas do trato inferior masculino, conhecido como LUTS (Lower Urinary Tract Symptoms, na sigla em inglês) são mais comuns do que parece, mas continuam sendo ignorados por 56% dos homens com idade entre 40 e 55 anos ouvidos por uma enquete promovida pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) com apoio da empresa Astellas Farma entre os dias 21 e 23 de setembro, nas cidades de Goiânia, Porto Alegre, Recife, São Paulo e Rio de Janeiro.
De acordo com o levantamento inédito no Brasil, realizado com duas mil pessoas, 55% dos entrevistados já foram ao urologista (quatro a cada dez deles vão, pelo menos, uma vez ao ano) e 71% deles já tiveram problemas ao urinar. Porém, ainda assim, a ideia de que os sintomas urinários são, na verdade, um problema de saúde sério continua sendo inimaginável para a maioria dos entrevistados. Não à toa, cerca de 60% do público ouvido disse não saber que incômodos desse tipo podem ser comuns em homens a partir dos 40 anos de idade.
Apesar disso, 65% dos homens ouvidos disseram que sintomas como o aumento da frequência urinária, que implica na necessidade de acordar várias vezes no meio da noite para ir ao banheiro, em jatos fracos de urina e na sensação de que a bexiga não ficou completamente vazia mesmo após o xixi, costumam prejudicar bastante a realização de suas atividades diárias.
Dr. Carlos Sacomani, urologista e diretor de comunicação da SBU, enfatiza que é muito comum que os pacientes tenham dificuldade em relatar sintomas do trato urinário inferior, pois muitos deles pensam que esse tipo de sintoma está relacionado somente ao envelhecimento. “O aumento da próstata e as alterações da bexiga urinária também podem ser responsáveis pelo surgimento de sintomas urinários com a idade. O interessante desta pesquisa é que muitos desconhecem a existência dessas alterações. É preciso informar o publico em geral sobre os tratamentos existentes”, analisa.

Campanha de conscientização
A SBU, em parceria com a empresa Astellas Farma, deu início a uma campanha de conscientização sobre os problemas do trato urinário inferior para o público leigo. Por isso, irá distribuir aos urologistas de todo o Brasil materiais de consultório para que seus pacientes conheçam mais sobre os LUTS, além de um questionário para que eles apontem possíveis sintomas relacionados à bexiga ou à próstata. A campanha também conta com um site repleto de informações, que pode ser acessado pelo endereço www.duvidatemcura.com.br.
Dr. Carlos Corradi, urologista e presidente da SBU, ressalta que, em caso de dúvidas, o médico deve ser sempre consultado.  “O urologista é o profissional que pode, adequadamente, diagnosticar os problemas que levam aos sintomas urinários e indicar a melhor opção de tratamento. Hoje, existem várias maneiras de resolver essas situações.”

Sobre a Sociedade Brasileira de Urologia
É uma associação científica sem fins lucrativos, representativa dos médicos brasileiros especializados em urologia, especialidade clínica e cirúrgica responsável pelo diagnóstico e pelo tratamento das enfermidades do sistema urinário de ambos os sexos e do sistema genital masculino. A entidade foi fundada em 13 de maio de 1926 e possui hoje 27 seccionais espalhadas pelo Brasil, com a função de coordenar e monitorar a atividade urológica nas unidades federativas. A SBU congrega cerca de 5 mil profissionais. Site: www.sbu.org.br/publico
                              
Sobre a Astellas Farma

Astellas Farma Brasil, filial da Astellas Pharma Inc., cuja sede está localizada em Tóquio, no Japão, é uma empresa farmacêutica dedicada a melhorar a saúde das pessoas em todo o mundo, por meio de fornecimento de produtos farmacêuticos inovadores e confiáveis. A organização está empenhada em se tornar líder da categoria global em áreas focadas pela combinação de pesquisa e desenvolvimento e áreas terapêuticas de especialização no Brasil, que incluem urologia, oncologia, imunologia, doenças infecciosas e dermatologia.

Metade dos homens não conhecem os sintomas e qualquer tipo de prevenção ou tratamento urinário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.