Pressão, criminalidade e o sono insuficiente são principais causas de estresse no Brasil

De acordo com pesquisa global realizada pela GfK, as três maiores causas de estresse cotidiano no mundo são o dinheiro, a pressão e o sono insuficiente.  No Brasil, a criminalidade como fato gerador de estresse apresentou percentuais muito superiores à média global, passando da 10ª posição em nível global para a 1ª posição no ranking das principais causas de estresse no Brasil.

A pesquisa online envolveu entrevistas com 27 mil consumidores de 22 países e foi realizada entre os meses de junho e agosto deste ano.  A GfK apresentou aos entrevistados uma lista em que apontaram as principais causas cotidianas de estresse. Em nível global, quase três em cada dez pessoas (29%) citaram as preocupações com dinheiro, fazendo dele o maior causador de estresse.  Mencionadas por 27% dos entrevistados, as pressões ou cobranças que impõem a si mesmas ficaram em segundo lugar, e a falta de sono, em terceiro lugar, foi citada por 23%. A falta de tempo para se dedicar às atividades que gostariam (22%)  e o excesso de trabalho diário (19%) completam relação das cinco principais grandes causas do estresse no mundo.

 image006

Situação no Brasil

Com percentuais bastante acima das médias globais, a pressão sobre si mesmas e a criminalidade, ambas pontadas como  os principais fatores desencadeadores de estresse por 39% dos brasileiros.  A falta de sono (38%), a falta de tempo para fazer o que desejam (33%) e a quantidade de dinheiro de que dispõem (31%) completam a lista das 5 maiores causas de estresse entre os brasileiros, de acordo com o estudo. O excesso de trabalho diário é a próxima da lista (29%), ocupando a 6ª posição no ranking do Brasil.

 image009

Conforme a idade

Ao examinar grupos em faixas etárias diferentes, a ordem dos fatores que desencadeiam estresse pode variar. A pressão que colocam em si e a falta de tempo para fazer as coisas que gostariam estão entre as principais causas de estresse entre os brasileiros mais jovens (entre 15 e 29 anos), e vão perdendo força a medida que avançamos para as faixas etárias mais velhas. Já a criminalidade e a quantidade de dinheiro que tem para viver são fatores que aumentam entre os brasileiros conforme a idade avança.

Criminalidade – Diferenças entre América Latina e o mundo

Internacionalmente, apenas 14% das pessoas (13% dos homens e 15% das mulheres) vêm a criminalidade como uma grande causa de estresse. Porém, em países latino-americanos o índice de menções à criminalidade aumenta drasticamente, para 41% na Argentina, 39% no Brasil e 36% no México, posicionando-se nesses países entre as cinco maiores causas de estresse.

Sobre o estudo

A GfK conduziu uma pesquisa online com mais de 27.000 consumidores, com mais de 15 anos, em 22 países. O trabalho de campo foi realizado entre junho e agosto de 2015, e os dados foram ponderados para refletir a composição demográfica da população online, com mais de 15 anos, em cada mercado. A pesquisa foi feita na Argentina, Austrália, Bélgica, Brasil, Canadá, China, República Tcheca, França, Alemanha, Hong Kong, Itália, Japão, México, Holanda, Polônia, Rússia, Coreia do Sul, Espanha, Suécia, Turquia, Reino Unido e EUA.

 

Sobre a GfK

A GfK é uma fonte confiável de informações relevantes sobre os mercados e consumidores, permitindo que seus clientes tomem decisões mais inteligentes. Mais de 13.000 especialistas em pesquisa de mercado combinam a paixão pelo que fazem com uma longa e vasta experiência em ciência de dados. Isso permite que a GfK forneça insights globais, combinados à inteligência de mercado local, em mais de 100 países. Através de tecnologias inovadoras e ciências de dados, a GfK transforma o big data em dados inteligentes, possibilitando que seus clientes alavanquem a sua vantagem competitiva e enriqueçam as experiências e escolhas dos consumidores.

Para mais informações, acesse www.gfk.com ou siga a GfK no Twitter: https://twitter.com/GfK

<hilda.c.aquino@gmail.com>

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.