Empresa fatura com treinamento para novos empreendedores surgidos na crise

Em época de aumento do desemprego e da crise econômica, empreender é uma das oportunidades que muitos enxergam para não depender de um emprego. De acordo com uma pesquisa do Data Popular feita em 2015, quase 40 milhões de brasileiros têm intenção de abrir um negócio próprio. Mas, não basta apenas querer, é preciso se preparar: 78% dos entrevistados afirmaram estar se preparando de alguma maneira para abrir sua empresa.

A Bolachas Vovó Elza soube aproveitar essa demanda, unindo o útil ao agradável: crescer em meio a crise ajudando pessoas que tentam fugir dela. A empresa aproveitou para aumentar a quantidade de cursos de confecção de bolachas e biscoitos. “As pessoas estão buscando novas maneiras de ganhar dinheiro e vender biscoitos é uma delas. Lançamos cursos, praticamente, um vez ao mês e isso fez o faturamento aumentar em torno de 10%”, revela a cookie designer, Ana Luiza Spengler.

Contudo, o investimento em cursos não é a única maneira de ajudar a empresa a se manter ativa no mercado. Desde 1998, a Bolachas Vovó Elza comercializa seus produtos nas feiras do Passeio Público e Largo da Ordem, em Curitiba (PR), e faz distribuição para 600 pontos de venda na capital paranaense e Região Metropolitana, Ponta Grossa, Londrina e São Paulo. O foco para 2016 são mercados alternativos, como escolas, hotéis e eventos. “Já atendemos várias empresas em anos anteriores, com a produção de biscoitos personalizados e o retorno é muito bom, visto que esse mercado atrai compradores para o nosso varejo”, afirma Ana Luiza Spengler.

E para aproveitar essas novos consumidores, a Bolachas Vovó Elza ainda apostou na abertura de uma loja própria no mês de setembro de 2015 e novos produtos, que vão em direção a um setor em expansão: o gourmet.  “Lançamos a linha Gourmet, com petit four de Chocolate, limão siciliano, café e cappucino, nozes caramelizadas e castanha, que foi muito bem aceita pelos nossos clientes”, conta a cookie designer.

De acordo com a pequena empresária, a meta é continuar buscando novas oportunidades para se manter viva no setor. “Já estamos prospectando novos mercados , eventos, tendências e organizando cursos de diversos temas. É preciso ter estar atento às várias alternativas para sobreviver durante uma crise”, salienta Ana Luiza Spengler.

 

Sobre a Bolachas Vovó Elza

A Bolachas Vovó Elza iniciou suas atividades em 1998, ano que a família Spengler chegou a Curitiba. A empresa é familiar e começou sua história com uma pequena produção para ser comercializada nas feiras do Passeio Público e a do Largo da Ordem. Aos poucos, as vendas começaram a aumentar e os produtos a ser distribuídos para estabelecimentos da capital e Região Metropolitana. Hoje, a Bolachas Vovó Elza conta com 600 pontos de vendas na Grande Curitiba, litoral paranaense, Ponta Grossa, Londrina e São Paulo. Com produção inteiramente artesanal, as receitas são de origem alemã do início do século XX e que foram passadas de geração para geração.

expressa

01

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.