Litoral do Paraná atrai turistas da melhor idade

Com a chegada da temporada de verão, muitos idosos se preparam para viajar por várias cidades do país. Dados da Secretaria de Turismo do Paraná, 18 milhões de pessoas acima de 60 anos viajaram no último ano. Para contemplar esse público, comércio tem feito promoções para essa faixa etária, assim como as secretarias de turismo dos municípios do Litoral do Paraná.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o envelhecimento da população brasileira vem crescendo, o que tem levado ao aumento no número de empreendimentos, principalmente no estado do Paraná, que estejam aptos para receber o alto índice de viajantes desse extenso grupo após sua aposentadoria. Segue abaixo algumas principais sugestões escolhidas como opção de passeio para esse público:

  1. Cidades Litorâneas: mesmo com a temporada de verão, veranistas idosos são cada vez mais frequentes no litoral do Paraná, tirando aquele ar de “adolescência” na cidades como Matinhos, Pontal do Paraná e Guaratuba. Muitos alugam casas para toda a temporada com a família. Para aqueles que desejam não se preocupar com nada além do pagamento, alguns hotéis oferecem completa infraestrutura de lazer e esportes.
  2. Municípios históricos: com um clima mais tranquilo, porém ainda litorâneo, Antonina, Morretes e Paranaguá tem  passeios e opções de hospedagem bastante variada. Na área de Gastronomia, o barreado é um dos pratos principais que pode ser degustado de forma tranquila e aprazível. Em Paranaguá, existem igrejas do século 18 que retratam de forma original a arquitetura do período colonial.
  3. Passeio às ilhas – O litoral do Paraná reúne algumas ilhas que valem a pena visitar. Entre elas, a ilha do Superagui, ilha das Peças e a mais famosa, a Ilha do Mel, que dentre todas é que a possui melhor infraestrutura para receber turistas e é a mais próxima do continente via travessia de barco, com saídas de Paranaguá e de Pontal do Paraná. A travessia até às ilhas, por si só, já é um passeio. As embarcações têm horários específicos para realizar a travessia. Vale a pena consultar as empresas que realizam esse trajeto.

Movimento Litoral

Para quem seguir rumo ao litoral já na sexta-feira (22), encontrará tráfego alto entre 16h e 23h na BR-277. A SIMEPAR prevê tempo bom com sol durante o fim de semana.

No sábado (23), mais de 20 mil veículos devem seguir rumo a Paranaguá e o fluxo será intenso desde às 8h até o começo da tarde. O pico esperado é de 1,6 mil veículos entre 9h e 10h.

Já para o domingo (24), dia de maior movimento previsto no retorno via BR-277 sentido Curitiba, a concessionária Ecovia prevê 30 mil veículos durante todo o dia. A previsão indica três mil veículos/hora entre 22h e 23h.

“Pensando na mobilidade dos usuários da BR-277, a qual a Ecovia administra, durante toda a temporada de verão não estão programadas obras que venham interferir no tráfego sentido Paranaguá aos fins de semanas”, diz Raul Boff, gerente de Atendimento ao Usuário da Ecovia.

O 0800 410 277 é o telefone para emergências e dúvidas e funciona 24h por dia. Outra forma de comunicação não menos importante é o Twitter @ecovia. Nele são repassados informações de acidentes, bloqueios, fluxos e dicas de como realizar uma viagem segura.

Sobre a Ecovia – A Ecovia é uma empresa do GrupoEcoRodovais. No Paraná é responsável pela operação e manutenção da BR-277 – rodovia de grande importância comercial e turística na Região Sul, por ligar Curitiba ao Porto de Paranaguá, numa extensão de 84 quilômetros em pista dupla, além dos segmentos rodoviários PR-508 (Alexandra-Matinhos), e PR-407 (Pontal do Paraná). A empresa também presta manutenção nas rodovias de oferta que ligam a BR-277 às cidades de Morretes e Antonina. A Ecovia oferece ainda os Serviços de Atendimento ao Usuário (SAU) nos km 35 e 11 (sentido Paranaguá) e km 61,2 (sentido Curitiba) onde há banheiro, fraldário, café, água e telefone público.

Sobre o Grupo Ecorodovias – Ecorodovias é um dos maiores grupos de infraestrutura e logística intermodal do Brasil. Conta com sete concessões rodoviárias nas regiões Sul e Sudeste, somando mais de 1.900 quilômetros de rodovias por onde passam 120 milhões de veículos por ano, representando 52,8% do fluxo de passageiros e turistas, e 48% de toda a carga nacional movimentada no país. 

nqm

litor

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.