Estudante do Paraná cria aplicativo que facilita pedidos de pizza

Noite de sábado, a galera decide pedir uma pizza. Buscar o telefone na internet, analisar o cardápio, eleger quem vai ligar e passar as informações ao atendente – enquanto todos gritam ao mesmo tempo o sabor preferido –, escolher forma de pagamento e segurar a fome enquanto espera a entrega. Ufa! Foi pensando em um jeito de encurtar todo esse processo que o estudante paranaense Emannuell Dartora Cenzi, 21 anos, teve a inspiração de criar o Pizza Já. O aplicativo para Android e iOS, com lançamento marcado para o início de fevereiro, em Curitiba, tem pizzarias cadastradas na capital, além de Francisco Beltrão e Pato Branco (onde Emannuell mora), no sudoeste do Paraná.

A partir do mecanismo de localização do smartphone ou tablet, o app indica as pizzarias cadastradas mais próximas, além de permitir que o usuário escolha o estabelecimento pelo nome. Pelo aplicativo, é possível montar a pizza, escolhendo sabores, massa e borda, além de selecionar a bandeira do cartão para pagamento no ato da entrega ou a quantia necessária de troco, caso opte por pagar em dinheiro.

“Depois disso, tem um tempo para a confirmação do pedido, que é feito pelo funcionário da pizzaria, por meio de um software bastante leve instalado no computador. Esse detalhe é importante, porque, quando a pessoa está com fome, precisa ter certeza de que alguém está fazendo sua pizza”, ressalta Emannuell Cenzi.

Estudante de sistema da informação em Pato Branco, o empreendedor contou com o investimento dos pais para tocar o projeto, que teve início há um ano e meio. A versão de teste teve mais de mil downloads e cerca de 300 indicações de pizzarias brasileiras. Uma etapa importante do processo foi a validação, por meio de conversas com pizzarias para entender o modelo de negócio e as particularidades na produção de cada uma. “Uma pizzaria assa com forno a lenha, outra no elétrico e outra no gás, isso muda a capacidade de produção, o sabor, a massa”, explica.

“Além disso, a maneira de administrar também varia muito, já que muitas são negócios familiares ou pequenas empresas em sociedade”, completa. Somente em Curitiba, são mais de 400 estabelecimentos, responsáveis pela fabricação de aproximadamente 600 mil pizzas/mês. Para cada transação realizada, o app recebe uma taxa fixa de R$ 1,50, paga pelo estabelecimento comercial. “É a taxa mais barata do mercado. A maioria cobra entre 6% e 12% sobre cada pedido e, em alguns casos, também uma mensalidade”, justifica Emannuell.

Com foco no público jovem, o empreendedor planeja criar promoções e descontos, além de ações especiais envolvendo universitários. “A ideia surgiu quando uns amigos e eu decidimos pedir uma pizza e não achávamos o telefone de uma pizzaria. Daí pensei: por que não criar um app para isso? Existem tantos sabores, opções de massas e sempre pedimos no mesmo lugar”, lembra. “Além da agilidade ao usuário, o aplicativo facilita muito o trabalho das pizzarias, que acabam perdendo pedidos por estarem com o telefone ocupado”, acrescenta.

Lançamento

A expectativa é que todas as pizzarias de Curitiba, Francisco Beltrão e Pato Branco venham a se cadastrar no Pizza Já. No sudoeste, o app foi apresentado oficialmente no final do ano, durante a Inventum 2015 – Feira de Inovação e Tecnologia de Pato Branco. “A receptividade foi muito boa, cadastramos 598 pessoas em cinco noites de feira”, conta Emannuell. A prospecção deve seguir durante todo o primeiro trimestre de 2016. O objetivo é que o aplicativo ganhe o País todo.

<jornalismopr@savannah.com.br>

70fab57d-12db-464b-8242-b52925af68e3 aa908a0d-cb65-47fe-898e-ed64607d7a6e

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.