Terapia ortodôntica minimiza problemas de respiração em crianças

O o tratamento da atresia maxilar é obtido com uso de aparelhos apoiados na arcada superior, que promovem uma expansão da região
O  tratamento da atresia maxilar é obtido com uso de aparelhos apoiados na arcada superior, que promovem uma expansão da região

O hábito de respirar pela boca compromete o funcionamento adequado das estruturas da face.  Podendo levar ao mau posicionamento dentário e a graves problemas na mastigação.  Além dos fatores bucais, outros sinais podem aparecer durante o sono, é o caso do ronco ou apneia obstrutiva do sono. Se a manifestação for frequente é fundamental procurar um especialista.

De acordo com a ortodontista Renata Feres, estudos de centros de pesquisas no Brasil e no exterior, comprovam as evidências de que os tratamentos ortodônticos têm papel fundamental na solução de distúrbios do sono. Problemas ortodônticos em crianças que respiram pela boca causam danos de maneira progressiva e continuada. “O tratamento precoce ajuda a amenizar os malefícios dos distúrbios do sono e a evitar consequências na vida adulta”, coloca a ortodontista.

O acompanhamento multidisciplinar é essencial para reduzir as alterações provocadas pelos distúrbios da respiração e do sono. “E a ortodontia tem papel fundamental”, observa Renata Feres. Ela lembra que estudos da Universidade de Alberta no Canadá, um dos maiores centros de pesquisa interdisciplinar de respiração do mundo, indicam que os ortodontistas estão numa posição única para detecção precoce de distúrbios respiratórios do sono e desordens na vias aéreas.

Os problemas respiratórios têm uma relação estreita com a ortodontia e normalmente, as alterações na face começam na infância. “Os principais distúrbios decorrentes da respiração bucal são as mordidas cruzadas ou abertas, dentes apinhados e as retrusões mandibulares.

É função da ortodontia, normalizar a posição dos dentes e das arcadas dentárias alteradas.  Podendo ser feita por diversos tipos de mecanismos e com duração que varia com a idade em que o paciente inicia o tratamento, afirma a ortodontista. Cada caso é muito particular e deve ser analisado por exame clínico e radiografias específicas, para então propor tratamento adequado.

Portanto, enfatiza Renata, dentistas e ortodontistas têm um papel inestimável na detecção precoce e tratamento. Pois devido a idade é possível obter resultados excelentes. Porém, é importante ressaltar que o acompanhamento médico dos distúrbios do sono é fundamental, já que o tratamento é multidisciplinar. 

Problema e tratamento

A ortodontista cita a atresia maxilar (arcada superior estreita e profunda) como um dos problemas que afetam a qualidade respiratória das crianças. Ela detalha que a atresia é definida como sendo um pequeno desenvolvimento transversal da maxila em relação à mandíbula e vem sendo bastante pesquisada ao longo da história por ortodontistas e otorrinolaringologistas. As causas da atresia maxilar são respiração bucal, tipo facial, problemas posturais, perda precoce de dentes decíduos, hábitos deletérios (sucção de dedo, chupeta, interposição de língua) e más formações do crânio e da face.

De acordo com Renata, o tratamento desta má oclusão é obtido com uso de aparelhos apoiados na arcada superior, que promovem uma expansão da região. “É muito eficiente em crianças em fase de crescimento, já que as suturas da região não estão fusionadas ainda”, observa, salientando que esse tratamento se tornou um procedimento de rotina na clínica ortodôntica. A ortodondista destaca que o tratamento melhora a qualidade de vida das crianças, pois melhorando a respiração durante a noite, elas se sentem melhor nas atividades do dia a dia.

Serviço – Feres Ortodontia

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.